Cotidiano

Esperamos que o Governo de MS tenha mesma sensibilidade que a Prefeitura, critica CDL

Com as medidas restritivas impostas pelo Estado e pelo município, os comerciantes têm relatado dificuldades em Mato Grosso do Sul. Nesta sexta-feira (19), foi realizada reunião na Prefeitura de Campo Grande, quando os lojistas receberam incentivos, como o adiamento da parcela de impostos. Porém, o setor critica a falta de diálogo com o Governo do […]

Mylena Rocha Publicado em 19/03/2021, às 12h28 - Atualizado às 17h08

Foto: Leonardo de França, Midiamax
Foto: Leonardo de França, Midiamax - Foto: Leonardo de França, Midiamax

Com as medidas restritivas impostas pelo Estado e pelo município, os comerciantes têm relatado dificuldades em Mato Grosso do Sul. Nesta sexta-feira (19), foi realizada reunião na Prefeitura de Campo Grande, quando os lojistas receberam incentivos, como o adiamento da parcela de impostos. Porém, o setor critica a falta de diálogo com o Governo do Estado. 

Esperamos que o Governo de MS tenha mesma sensibilidade que a Prefeitura, critica CDL
Adelaido cita dificuldade em dialogar com Governo. (Foto Marcos Ermínio)

O presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) explica que os comerciantes tentam há 40 dias uma conversa com representantes do governo estadual. “Esperamos que o Governo do Estado a mesma sensibilidade que tivemos da Prefeitura. Até agora, do Governo do Estado só vieram medidas restritivas, não veio nenhuma ajuda, nenhum apoio”, critica.

Vila ressalta que o setor comercial emprega 65% da classe trabalhadora de Mato Grosso do Sul. Apesar dos apelos, o Governo do Estado não teria atendido ao pedido das entidades.

“Estamos há cerca de 40 dias tentando falar com ele, não atende. Estamos dizendo: o varejo sul-mato-grossense está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas na UTI que nós estamos não tem respirador, nem diálogo”, ressalta.

Comerciantes negociam incentivos

Diante do apelo dos comerciantes com o prejuízo da pandemia e as restrições na próxima semana, a Prefeitura de Campo Grande irá adiar a data de vencimento do pagamento da terceira parcela do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto sobre Serviço). O decreto será publicado nesta sexta-feira (19) e os contribuintes terão um mês a mais no prazo para pagar os impostos.

Com a mudança, a terceira parcela do IPTU, que venceria no dia 10 de abril, passa a vencer no dia 10 de junho. Já a terceira parcela do ISS do Simples Nacional e MEI (Microempreendedor individual), que venceria no dia 25 de abril, vence no dia 25 de junho. A terceira parcela do ISS para outros prestadores de serviço e profissionais liberais, que tinha data de vencimento em 15 de abril, passa para 15 de junho.

Jornal Midiamax