Cotidiano

Empresário campo-grandense é multado em R$ 50 mil por derramamento de óleo no solo

Máquina pá-carregadeira havia feito um buraco para 'enterrar' o resíduo

Fábio Oruê Publicado em 25/06/2021, às 11h03

Buraco aberto com óleo
Buraco aberto com óleo - Foto: PMA/ Divulgação

Depois de receberem denúncias de poluição por vazamento de óleo vegetal, a PMA (Polícia Militar Ambiental) de Campo Grande realizaram fiscalização na quinta-feira (24) em uma propriedade rural no município, a 10 km da cidade e confirmaram a denúncia.

No local, funciona uma empresa de processamento de óleo vegetal e os policiais verificaram o vazamento de cerca de 10 mil litros de óleo no pátio da empresa, que escorreu pela estrada, causando poluição do solo.

Segundo o proprietário, de 57 anos, uma carreta com resíduo de óleo vegetal, que faria a transferência para o processamento na indústria, a qual passou a noite no pátio da empresa para ser descarregada, deu problema em uma válvula do tanque e pela manhã percebeu-se que o óleo havia vazado.

No momento em que a PMA chegou, uma máquina pá-carregadeira havia efetuado um buraco e destinava o óleo (produto perigoso ao ambiente) para ser enterrado.

A empresa também não possuía licença para o funcionamento. As atividades foram paralisadas e o proprietário foi notificado a remover todo o material contaminante e a dar destino adequado ao resíduo, apresentando relatório da solução do problema.

O infrator também foi multado em R$ 50 mil e encaminhado à Delegacia de Polícia Civil e responderá por crime ambiental. A pena para o crime de poluição é de um a quatro ano de reclusão. Caso se constate que o crime foi culposo, a pena é de seis meses a um ano de detenção.

Jornal Midiamax