Cotidiano

Em um dia, barreiras sanitárias abordaram 5,8 mil pessoas em Campo Grande

Só no primeiro dia de funcionamento, as equipes abordaram 5,8 mil pessoas nas barreiras sanitárias instaladas em Campo Grande. Com as abordagens em quatro pontos estratégicos da cidade, os profissionais conseguiram identificar sete casos suspeitos de coronavírus. As barreiras estão localizadas nas saídas para Cuiabá, Sidrolândia, São Paulo e Três Lagoas, onde há um fluxo […]

Mylena Rocha Publicado em 12/03/2021, às 09h21 - Atualizado às 10h39

(Foto: Marcos Ermínio)
(Foto: Marcos Ermínio) - (Foto: Marcos Ermínio)

Só no primeiro dia de funcionamento, as equipes abordaram 5,8 mil pessoas nas barreiras sanitárias instaladas em Campo Grande. Com as abordagens em quatro pontos estratégicos da cidade, os profissionais conseguiram identificar sete casos suspeitos de coronavírus.

As barreiras estão localizadas nas saídas para Cuiabá, Sidrolândia, São Paulo e Três Lagoas, onde há um fluxo maior de veículos vindo dos municípios do interior e de fora do Estado. Conforme dados divulgados pela Prefeitura, cerca de 3,1 mil veículos entraram na cidade e passaram pelas barreiras. No local, os condutores e passageiros recebem orientações sobre o coronavírus. Além disso, é feita a avaliação de casos suspeitos e a desinfecção dos automóveis. 

Dos sete casos suspeitos que estavam em veículos com placas de fora da Capital, cinco foram testados por apresentarem critérios e em nenhum foi detectada a presença do coronavírus. Segundo a Prefeitura, essas pessoas preenchem um formulário onde é relatado se houve ou não a persistência de sintomas, como dor de cabeça, tosse e coriza e informa se teve contato com caso positivo ou esteve recentemente em outros estados ou município.

Como o diagnóstico do teste rápido não é conclusivo, os casos suspeitos são orientados a ficar atentos aos sintomas. Caso haja qualquer alteração, é preciso procurar um atendimento em serviço de saúde. 

A implantação das barreiras sanitárias é uma das medidas feitas pelo município para conter o avanço do coronavírus. O trabalho conta com o apoio da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Guarda Municial, PRF (Polícia Rodoviária Federal), Detran (Departamento Estadual de Trânsito), Polícia Militar e todas as secretarias municipais.

Jornal Midiamax