Cotidiano

Em Três Lagoas, hospital tem dificuldades para comprar sedativos

A prefeitura de Três Lagoas informou, nesta quinta-feira (25), que o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora está com dificuldades em adquirir sedativos devido à falta de disponibilidade no mercado brasileiro. Recentemente, houve um crescimento acelerado do número de internações na cidade, atingindo altas taxas de ocupação de leitos, principalmente os leitos de UTI, nesta nova fase […]

Ranziel Oliveira Publicado em 25/03/2021, às 16h38

None

A prefeitura de Três Lagoas informou, nesta quinta-feira (25), que o Hospital Nossa Senhora Auxiliadora está com dificuldades em adquirir sedativos devido à falta de disponibilidade no mercado brasileiro.

Recentemente, houve um crescimento acelerado do número de internações na cidade, atingindo altas taxas de ocupação de leitos, principalmente os leitos de UTI, nesta nova fase da Pandemia no Brasil.

Neste cenário, grande parte dos medicamentos utilizados para sedação em pacientes graves estão momentaneamente indisponíveis no mercado brasileiro para a compra direta.

Desta forma, todos os pedidos de compra planejados e realizados nas últimas semanas foram cancelados pelos fornecedores em razão do aumento repentino e desproporcional do consumo dos sedativos no país.

Tal fato também se deve à recente decisão do Governo Federal de requisitar toda produção e centralizar a distribuição no Ministério da Saúde, que em breve deverá sanar o problema.

A prefeitura  informa a população que o Hospital, em conjunto e parceria com o Município e o Estado do Mato Grosso do Sul, estão em diálogo diário entre si na busca da normalização do fornecimento que atenda toda a demanda da Instituição de modo a não prejudicar o atendimento.

O Município, junto ao HNSA, está estudando a possibilidade de substituição dos tipos de sedativo, o que abre maior possibilidade de aquisição e permite sanar essa demanda de maneira ainda mais rápida.

Importante ressaltar também que foi pleiteada certa quantidade desses medicamentos com o Governo do Estado e, dessa forma, o abastecimento deve ocorrer até esta sexta-feira (26).

Jornal Midiamax