Cotidiano

Em meio à pandemia, enfermeiros ignoram empenho de Alan para pagar salários e ameaçam greve

O Sindicato dos profissionais de Enfermagem da Grande Dourados entregaram ao prefeito de Dourados , Alan Guedes, e ao secretário municipal de Sáude, Frederico Weisseinger, nesta terça-feria (12) ofício assinado pela presidente do Sindenf-MS Elizabeth Pereira de Oliveira, através do qual apresentam indicativo de greve por atraso de salários do mês de dezembro de 2020. […]

Marcos Morandi Publicado em 13/01/2021, às 08h28 - Atualizado às 16h58

Manifestação realizada no ano passado, ainda durante a gestão de Délia Razuk. (Foto: Divulgação).
Manifestação realizada no ano passado, ainda durante a gestão de Délia Razuk. (Foto: Divulgação). - Manifestação realizada no ano passado, ainda durante a gestão de Délia Razuk. (Foto: Divulgação).

O Sindicato dos profissionais de Enfermagem da Grande Dourados entregaram ao prefeito de Dourados , Alan Guedes, e ao secretário municipal de Sáude, Frederico Weisseinger, nesta terça-feria (12) ofício assinado pela presidente do Sindenf-MS Elizabeth Pereira de Oliveira, através do qual apresentam indicativo de greve por atraso de salários do mês de dezembro de 2020.

Assim que assumiu o cargo, há 13 dias, o prefeito Alan Guedes tornou público através da divulgação do relatório da Comissão de Transição  que o saldo recebido em caixa correspondia a um terço do necessário para honrar o pagamento dos salários do mês dezembro dos servidores.

Na oportunidade, o prefeito declarou que o pagamento da folha era prioridade e medidas foram tomadas (suspensão de pagamento de contratos por 90 dias e servidores e corte de cargos comissionados)  para permitir à prefeitura obter a quantia necessária para honrar o compromisso.

Mesmo assim,  em meio à pandemia da Covid-19 que sobrecarrega o sistema de saúda em todo o país,  a categoria pressiona a atual administração, após 13 dias da posse, com a ameaça de paralisação parcial das atividades, até a próxima sexta-feira (15), casos os salários não sejam quitados.

Segundo o Sindenf-MS, o indicativo de paralisação está relacionado ao atraso nos pagamentos dos salários dos servidores referente ao mês de dezembro de 2020 e que deveriam ser quitados até o quinto dia útil de janeiro de 2021.

A entidade sindical afirma que irá cumprir as regras impostas pela Lei de Greve e manter 30% dos postos de trabalho. Em Dourados, segundo o Sindenf-MS, o setor de enfermagem reúne 336 profissionais do setor de enfermagem que prestam serviços ao município, sendo 94 enfermeiros, 65 técnicos de enfermagem e 177  auxiliares de enfermagem.

Nos últimos dias da administração de Délia Razuk (sem partido), os profissionais do setor de enfermagem fizeram algumas manifestações  em decorrência da falta de pagamento dos salários. Além disso, eles reivindicavam o recebimento de férias.

A assessoria de Comunicação da prefeitura informou ao Midiamax que o pagamento dos salários do funcionalismo é prioridade na atual gestão, que está tomando providências para garantir a quitação da folha salarial de dezembro nos próximos dias.

“Temos um compromisso com todos os servidores e também com a população de Dourados e essa quitação da folha salarial é nossa prioridade no momento. Estamos tomando todas as medidas necessária para que conseguir recursos e providenciar esse pagamento o mais breve possível”, disse o prefeito Alan Gued

Jornal Midiamax