Cotidiano

Em Corumbá, ponte sobre o Rio Paraguai retorna ao DNIT e pedágio será encerrado

O contrato de concessão da ponte na região do Porto Morrinho vence em 2 de outubro e não será renovado, informou Agepan

Lucas Mamédio Publicado em 04/10/2021, às 14h09

None
(Foto: Divulgação)

A ponte sobre o Rio Paraguai, em Corumbá, na região do Porto Morrinho, vai voltar a ser responsabilidade do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes) e, com isso, não será mais cobrado pedágio. Segundo a Câmara de Vereadores de Corumbá, a informação partiu da própria Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Mato Grosso do Sul), em ofício enviado pelo diretor-presidente, Carlos Alberto de Assis, encaminhado ao presidente da Câmara, vereador Roberto Façanha.

"O contrato de concessão da ponte sobre o Rio Paraguai, na região do Porto Morrinho, vence em 02 de outubro de 2022, não consta previsão de renovação, com o bem sendo revertido ao Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), e não haverá mais a cobrança do pedágio", diz trecho da nota da Câmara.

O ofício também foi uma resposta a um requerimento do vereador Alexandre Taques Vasconcellos que, em maio, solicitou à Agência, a redução do valor cobrado no pedágio da ponte localizada na BR-262, trecho Corumbá-Campo Grande, bem como cópia do contrato firmado com a Concessionária Porto Morrinho Ltda.

Preço do pedágio

Segundo os vereadores de Corumbá, o pedágio da ponte era um dos mais caros do Brasil. "Para se ter uma ideia, o pedágio da Ponte Rio – Niterói, com mais de 13 quilômetros, custa R$ 4,60, quase três vezes menos que o valor pago para atravessar uma ponte de 1.890 metros de extensão, R$ 12,00 para veículos de passeio", afirma comunicado da Câmara.

Jornal Midiamax