Cotidiano

‘Discussão precoce’: Uso de máscaras continua até alcançar 90% de imunizados em MS

Secretário de Saúde reforçou que é preciso avançar também com a 3ª dose e pede vacinação de crianças

Mylena Rocha e Mayara Bueno Publicado em 22/10/2021, às 09h15

"Só vai ser construída uma saída após termos 90% da população imunizada", disse secretário.
"Só vai ser construída uma saída após termos 90% da população imunizada", disse secretário. - Marcos Ermínio/Midiamax

Mato Grosso do Sul avançou muito na campanha de imunização nos últimos meses e é um dos estados que mais vacinou a população. Mesmo assim, a campanha continua com a meta de imunizar 90% dos moradores, com duas doses ou a vacina de dose única. Até lá, ainda não há previsão de abandonar o uso de máscaras no Estado. 

O secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, explica que a discussão sobre o fim do uso das máscaras ainda é muito precoce. “Só vai ser construída uma saída após termos 90% da população imunizada. Aí vai ser discutido pelo Prosseguir, que reúne todas as secretarias”, afirma. 

Resende reforça que Mato Grosso do Sul ainda precisa avançar na campanha de imunização dos adolescentes e também na aplicação da 3ª dose nos idosos e profissionais da saúde. “Alguns estados apontaram a flexibilização [do uso de máscaras], mas alguns já estão voltando atrás”, diz. 

O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde) relembra que MS teve uma mudança radical no cenário da pandemia. Em junho, a média móvel de casos e mortes era alta, enquanto que nesta semana o Estado conseguiu ficar cinco dias sem registrar novos óbitos por covid. “Diante das conquistas que tivemos, não podemos correr o risco de perdê-las”. 

E as crianças, quando vacinam? 

Por enquanto, a aplicação da vacina foi autorizada somente na população a partir de 12 anos em Mato Grosso do Sul. No ano que vem, a Prefeitura de Campo Grande prevê aulas 100% presenciais na rede municipal e os pais já se preocupam. 

Para vacinar as crianças, o que falta é a sinalização do Ministério da Saúde. “Estamos cobrando, nós acreditamos que já é preciso apontar para a população como vai ser feito”, disse Resende. 

Jornal Midiamax