O tenente-coronel Meirelles, do CBM (Corpo de Bombeiros Militar) comanda a ação na região e relata que o trabalho na região é desgastante. “Tivemos dificuldade de estabelecer pouso na propriedade, é preciso uma caminhada de mais ou menos uma hora para chegar ao local, um deslocamento lento e dificultoso”, explica.

O comandante da operação afirma que o grande foco de incêndio começou no sábado (25), quando foram deslocadas cinco guarnições, com cerca de 30 homens. Agora, a preocupação é de que a fumaça feche o aeroporto da cidade. “O trabalho continua no dia de hoje. Há bastante fumaça, temos o receio de que feche o aeroporto”, diz Meirelles.

O tenente-coronel explica que o fogo não está tão alto, mas é bastante extenso, ou seja, está muito distribuído. “A gente já conseguiu extinguir bastante, é uma vegetação baixa, o que facilita um pouco”.