Cotidiano

Depois de perder mãe e sogra para Covid-19, Marlon revê o pai após 94 dias internado em UTI

Marlon perdeu a mãe e a sogra para a Covid-19 com 9 dias de diferença e agora comemora a alta do pai, após 94 dias internado em UTI.

Dândara Genelhú Publicado em 23/03/2021, às 13h17 - Atualizado às 16h26

Ebelciezer saindo do hospital nesta terça-feira (23). Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax.
Ebelciezer saindo do hospital nesta terça-feira (23). Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax. - Ebelciezer saindo do hospital nesta terça-feira (23). Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax.

Muitas famílias tiveram a infelicidade de ter mais de uma vítima fatal do coronavírus entre eles. Isto aconteceu com Marlon Martins, que perdeu a mãe e a sogra para a Covid-19 com nove dias de diferença. Entretanto, o homem de 35 anos comemora a alta do pai, após 94 dias internado em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) por causa da doença. Nesta terça-feira (23), ele e a família foram buscar o senhor de 73 anos.

Com muita alegria, ele diz que o momento é de agradecimento e comemoração. “Apesar de tudo triste que estamos passando, creio que este é nosso final feliz”, comemora. Ele afirma que ele e o irmão, Marcelo Martins, estão “super orgulhosos, muito feliz e agradecidos”.

Ebelciezer Martins está internado por causa da Covid-19 desde 19 de dezembro de 2020. Assim, o senhor foi internado em estado grave e quase sem consciência. Um dia após, Romilda Martins, mãe de Marlon, foi internada também. O idoso que já estava intubado, não soube do agravamento da esposa.

Tristeza atrás de tristeza

Assim, acompanhando o pai e vendo que ele só piorava no quadro, Marlon lembra que o senhor ficou “em estado gravíssimo e poderia morrer a qualquer momento”. No meio da preocupação com o pai, o homem viu a mãe ser internada em seguida. Em 27 de dezembro, quando completava 35 anos, Marlene Prado, a sogra dele foi hospitalizada por causa da Covid-19.

Após 16 dias de internação, em 5 de janeiro, Romilda não resistiu ao coronavírus e faleceu aos 67 anos no hospital El Kadri. Com muito pesar e emocionado, Marlon lembra que após nove dias perdeu a sogra. “No dia 14 de janeiro, foi minha sogra que faleceu, depois de 18 dias internada no Hospital do Coração”.

“Confesso que não estávamos esperando, um pedaço de mim se foi”, disse com a voz trêmula. Entre as infecções dos entes queridos e perdas para a Covid-19, Marlon e a esposa, até então grávida de sete meses, contraíram a doença. Ele lembra que os sintomas foram leves e que não precisaram ser hospitalizados.

Então, neste mês, o quadro de Ebelciezer foi melhorando pouco a pouco, até que a família pôde visitá-lo. Então, o momento foi dividido entre felicidade e tristeza, pois eles ainda tinham que contar que a esposa do idoso faleceu. “A equipe médica e família se reuniram no quarto do hospital para contar sobre os falecimentos, meu pai ficou muito triste”.

Volta por cima

No entanto, o momento de tristeza é amenizado pela felicidade da volta por cima que o idoso deu na Covid-19. Após ter a doença, pneumonia bacteriana, comprometimento de mais de 70% dos pulmões e outras complicações, Ebelciezer recebeu alta.

Assim, o senhor deve não só rever a família e o próprio lar, como conhecer a neta de quase um mês. A menina nasceu em 27 de fevereiro, menos de um mês antes da alta do avô.

Por fim, a família que levou até balões para receber o idoso, disse que acredita e almeja a total recuperação de Ebelciezer. Marlon explica que o idoso ainda segue em tratamento domiciliar. “Nossa Família encontrou forças em Deus e em minha filha para continuarmos adiante”, destaca com felicidade.

Jornal Midiamax