Cotidiano

Casal de bicicleta faz expedição sem roteiro pela América do Sul e se aventura em cidades de MS

Partindo do Rio Grande do Sul, namorados pedalaram mais de 2,3 mil km até chegar a Bonito

Ranziel Oliveira Publicado em 11/09/2021, às 08h44

Casal durante passagem por São Paulo
Casal durante passagem por São Paulo - (Foto: Arquivo pessoal / Gustavo Blume e Jussara Hentges)

Fazer da vida uma aventura sem destino e deixar a rotina para trás é o sonho de muitos. Para o casal de ciclistas Gustavo Blume, de 29 anos, e Jussara Hentges, de 25 anos, desbravar a América do Sul sobre duas rodas se tornou o objetivo principal da vida deles. Hoje o casal vive uma expedição do Rio Grande do Sul até o desconhecido, e, no meio desse trajeto, passam por Bonito e outras cidades do Mato Grosso do Sul.

[Colocar ALT]
No início, o casal começou a viagem de carro, mas decidiram mudar o meio de transporte (Foto: Arquivo pessoal / Gustavo Blume e Jussara Hentges)

A empreitada começou em junho de 2020, quando o casal de aventureiros se conheceu durante um acampamento. “Eu nunca pensei em viajar de bike, mas quando a gente se conheceu, começamos a conversar sobre essas viagens: de carro, de moto e de bicicleta. Sobre ter esse tipo de experiência e gostar de aventura”, disse Jussara.

Daquele camping floresceu o namoro e a semente para uma aventura foi plantada. No dia 1º de fevereiro de 2021, os dois abandonaram a vida comum e caíram na estrada em um Ford Ka adaptado com cama, caixa d’água e outros itens domésticos.

Durante essa viagem, o casal teve a ideia de voltar para a sua cidade, em Ivoti, no Rio Grande do Sul, até o Dia das Mães para surpreender as suas matriarcas. Depois de 100 dias viajando de carro, os dois deixaram o veículo na casa de um seguidor das redes sociais, em Apucarana no Paraná, e retornaram para o Rio Grande do Sul pedindo carona.

A bike na vida dos dois

De volta ao ponto de partida, Jussara teve a ideia de retomar a expedição e ir até o carro de bicicleta, com o objetivo de despachar as bikes quando chegassem, mas os planos mudaram novamente. “Mal sabíamos pedalar e passar as marchas. Chegamos lá e mandamos o carro embora pra casa dos meus pais e seguimos a viagem de bike”, disse Gustavo.

No dia 17 março de 2021, os dois saíram pedalando da cidade de Ivoti e seguiram explorando o país: passaram pelo litoral de Santa Catarina, serra de Curitiba e outras cidades do Paraná, Rosana em São Paulo e agora cruzam o Mato Grosso do Sul.

Casal aderiu à vida sobre duas rodas como estilo de vida (Foto: Arquivo pessoal / Gustavo Blume e Jussara Hentges)

Em MS, os ciclistas passaram por Nova Andradina, Ivinhema, Maracaju, Dourados, Guia Lopes da Laguna e agora estão em Bonito. Já são mais de 70 dias pedalando e fortalecendo a paixão pela aventura, que os uniu e segue guiando a viagem. “Nós falamos pra todo mundo que a gente marcou essa viagem pra se conchear”, explicou Jussara em um tom cômico. “A gente não tem um ponto final, vamos até onde aguentarmos”, disse ela.

Fugindo dos protocolos que a sociedade espera

Ambos trabalhavam e levavam a suas vidas como a maior parte das pessoas. Há dois anos e meio, Gustavo decidiu sair do seu emprego e focar em suas paixões. Ele já tinha um dinheiro guardado e junto com a sua rescisão salarial conseguiu se manter financeiramente e tocar o projeto ‘Baita Rolê’, no Instagram e YouTube.

Jussara também trabalhava e era acadêmica de administração, ela abandonou a rotina comum e seguiu o sonho junto com o namorado. “A gente não vai voltar pra casa, nós não temos mais um lugar fixo. Eu morava em uma casa alugada, nós dois juntamos tudo e vendemos a mobília. Voltar agora é só pra visitar”, disse ela.

[Colocar ALT]
Quando não se hospedam em hotel, a solução é acampar onde for possível (Foto: Arquivo pessoal / Gustavo Blume e Jussara Hentges)

Mesmo com o preparo econômico, a viagem gera gastos e exige investimentos em alimentação, hospedagem e hidratação, que são mantidos com a renda do YouTube, patrocínios e a bondade de muitos amigos de estrada. “Conseguimos manter a viagem, mas gastando pouco. Nós paramos em frutarias e pedimos aquelas que eles vão jogar fora, mas que ainda dá pra comer. Fazemos parcerias com hotéis e campings, mas, às vezes, dormimos em rodoviárias e postos de combustíveis”, explicou Gustavo  

O casal de aventureiros já pedalou mais de 2,3 mil quilômetros e deve ficar entre 2 e 3 anos na estrada. O próximo destino será o Pantanal, Minas Gerais e posteriormente Campo Grande, porém sem uma data estipulada. A única certeza é que a viagem pelo Brasil e América do Sul está apenas começando, mas sem uma rota definida.

Jornal Midiamax