Cotidiano

Das 13 cidades na fronteira de MS com imunização, 8 não registraram mortes em agosto

Há quase dois meses, municípios foram contemplados com estudo de vacinação em massa

Mylena Rocha Publicado em 30/08/2021, às 15h30

Para vacinar toda a população, equipes foram até os ribeirinhos e moradores da zona rural na fronteira de MS.
Para vacinar toda a população, equipes foram até os ribeirinhos e moradores da zona rural na fronteira de MS. - Divulgação/Julio Croda/Fiocruz

Quase dois meses depois do início da vacinação em massa na fronteira de Mato Grosso do Sul, a imunização continua a mostrar efeitos nos municípios. Para se ter uma ideia, de 13 cidades contempladas com o estudo, oito não registraram nenhuma morte por coronavírus desde o início do mês de agosto. Os municípios restantes registraram poucos óbitos, somando 18 mortes no total nas últimas quatro semanas. 

O levantamento foi feito pela reportagem do Jornal Midiamax com dados divulgados pelo boletim epidemiológico da SES (Secretaria de Estado de Saúde) em quatro semanas, do dia 1º de agosto ao domingo (29). As informações mostram resultados impressionantes: Corumbá, que tem a população estimada em 112.669 moradores, conforme o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), registrou somente 38 casos e nove mortes em agosto. 

Já Ponta Porã, que tem população estimada em 95.320 pessoas, teve 121 casos de coronavírus e cinco mortes. Juntas, as maiores cidades da fronteira de Mato Grosso do Sul tiveram 14 mortes no mês de agosto, um número um pouco acima da média de mortes diárias no Estado. MS tem média de 12,3 mortes por dia. 

As 13 cidades da fronteira de MS registraram o total de 297 casos novos de covid no mês inteiro. O número é menor do que a média móvel de MS, que tem 321,6 casos de covid confirmados por dia. Campo Grande, por exemplo, registrou 217 novos casos somente no domingo (29). 

Quais são as cidades sem mortes?

Ao todo, oito cidades da fronteira zeraram as mortes por coronavírus desde o início de agosto. Houve registro de infecções por coronavírus, já que a vacina não é totalmente eficaz para evitar a contaminação. Confira: Coronel Sapucaia (26 casos); Ladário (20 casos); Bela Vista (19 casos); Paranhos (14 casos); Porto Murtinho (10 casos); Japorã (5 casos); Caracol (1 caso); Sete Quedas (1 caso).

Saiba a quantidade de casos e mortes registradas nas outras cidades da fronteira: Ponta Porã (121 casos e 5 mortes); Corumbá (38 casos e 9 mortes); Mundo Novo (20 casos e uma morte); Antônio João (13 casos e uma morte); Aral Moreira (9 casos e 2 mortes).

Estudo na fronteira

A vacina americana da Janssen é de aplicação única e foi utilizada para estudo epidemiológico conduzido pelo médico infectologista e pesquisador da Fiocruz, Julio Croda. O estudo foi conduzido pelo infectologista através do grupo VEBRA COVID-19 (Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19). Os municípios que fizeram parte do estudo de vacinação em massa são: Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

Todos, acima de 18 anos, que ainda não tinham sido vacinados com outros imunizantes tiveram a oportunidade de receber a dose da Janssen. Os pesquisadores monitoram o impacto da vacina em relação à imunidade coletiva. Também será monitorada a incidência da doença em crianças, que ainda não podem receber vacina.

Jornal Midiamax