Cotidiano

Contra privatização da Eletrobras, funcionários da Eletrosul de MS fazem greve

Greve tem duração de 72h, mas empresa garante que não haverá impacto nos consumidores

Dândara Genelhú Publicado em 14/06/2021, às 18h32

Greve acontece em todo o Brasil.
Greve acontece em todo o Brasil. - Foto: Reprodução | Sinergia MS.

Os trabalhadores da Eletrosul em Mato Grosso do Sul entram em greve por 72h, contadas a partir desta terça-feira (15). A paralisação é uma resposta à privatização da Eletrobras. A Medida Provisória 1031/21, que prevê a mudança, está na pauta de votação no Senado.

Em Mato Grosso do Sul, são 32 trabalhadores da Eletrosul que atuam na transmissão de energia elétrica em Campo Grande, Dourados e Água Clara. O estado de greve foi aprovado em assembleias do Sinergia-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Comércio de Energia no Estado de Mato Grosso do Sul) em 28 de maio.

De acordo com o presidente do Sindicato, Elvio Vargas, “a paralisação é uma forma de pressionar os senadores e mostrar que os trabalhadores são contra a privatização da Eletrobras”. Ele afirma ainda que “se a MP nº 1.031/21 não for analisada até 22 de junho, ela perderá a validade. Por isso, a importância das mobilizações para barrar a tramitação desta MP”.

Em Mato Grosso do Sul, a paralisação não terá impacto direto para a população porque será mantido o percentual mínimo de trabalhadores em regime de plantão.

Jornal Midiamax