Cotidiano

Com variante delta circulando desde julho, MS quer 70% dos adultos vacinados nesta semana

SES pediu plantões de vacinação até o fim de semana para Estado atingir imunidade coletiva

Mylena Rocha Publicado em 08/09/2021, às 11h36

Estado tem 63,99% dos adultos completamente imunizados.
Estado tem 63,99% dos adultos completamente imunizados. - Henrique Arakaki/Midiamax

Mato Grosso do Sul já confirmou três casos da variante Delta e dados apontam que a nova cepa está presente no Estado desde julho. Os casos foram confirmados em Campo Grande e Ladário, mas a análise das amostras é aleatória, o que mostra que pode haver mais casos em MS. Como estratégia para barrar o avanço da nova variante, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) investe na campanha de vacinação e o objetivo é alcançar 70% dos adultos imunizados até o fim de semana. 

Quem contou sobre a estratégia foi o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, durante a live na manhã desta quarta-feira (8). Ele relata que a variante Delta, que é mais perigosa e transmissível, está presente em MS desde julho, conforme amostras colhidas para o mapeamento genômico. 

Resende explica que a análise das cepas é aleatória. “Foi constatado aleatoriamente, as amostras são colhidas aleatoriamente para o sequenciamento do vírus”, informa. 

Como a nova cepa já pode estar presente em outros municípios, a meta é intensificar a vacinação. “Nossa estratégia é avançar na D2 e na 3ª dose dos idosos a partir dos 70 anos. O impacto da presença da variante Delta será mínimo se nós conseguirmos, em parceria com os municípios, avançar [na vacinação]”, reforçou. 

O secretário de saúde explica que a meta é alcançar 70% dos adultos com o ciclo vacinal completo ainda nesta semana. Atualmente, 63,99% dos adultos estão completamente imunizados, conforme o Vacinômetro. 

“Se fizermos com a eficiência que sempre fizemos, que até o final desta semana a gente possa chegar naquilo que especialistas dizem, a chamada imunidade de rebanho ou imunidade coletiva”.

Resende explica que será possível alcançar a meta caso os municípios se empenhem com plantões de vacinação inclusive no fim de semana. “Nossa recomendação é vacinar todos a partir de 70 anos com a dose de reforço”, disse. O secretário também comentou que o objetivo é reduzir o intervalo de aplicação de doses da Pfizer. 

Casos da variante Delta

Mato Grosso do Sul confirmou três amostras sequenciadas com a variante Delta nesta semana, foram duas amostras coletadas em Campo Grande e uma em Ladário. O Presidente do Cosems (Conselho de Secretários Municipais de Saúde de MS), Rogério Leite explica que mesmo sem saber que se tratava da variante Delta, os municípios realizaram o trabalho que lhes compete, notificando e monitorando os pacientes. “Esta confirmação é para ficarmos vigilantes, a variante já circula em todo o país”.

As amostras são do monitoramento de rotina feita pelo Lacen como parte das ações de vigilância genômica. As amostras foram coletadas em 23 e 27 de julho deste ano e encaminhadas ao laboratório da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) no Amazonas.

MS precisa alcançar de 80% a 90% de imunizados, diz especialista

[Colocar ALT]
Infectologista de MS, Julio Croda é referência no estudo do coronavírus. (Foto: Saul Shramm/Governo de MS)

Apesar do alto índice de vacinação contra o coronavírus, os sul-mato-grossenses não podem se considerar seguros contra a variante Delta. Cuidados como o isolamento social, evitar aglomerações, uso de máscaras e higiene das mãos continuam essenciais. 

O infectologista da Fiocruz e professor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Julio Croda explica que o Estado ainda precisa avançar na imunização. Para alcançar a imunidade coletiva, o Estado precisa atingir de 80 a 90% da população com o ciclo vacinal completo, ou seja, com as duas doses ou a dose única. 

Jornal Midiamax