Cotidiano

À beira do colapso, 4 municípios de MS estão com 100% dos leitos UTIs ocupados

Com o rápido avanço da Covid-19, a saúde de Mato Grosso do Sul está á beira do colapso. Assim, 4 municípios já estão sem leitos UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) disponíveis. Conforme o Painel Mais Saúde, da SES (Secretária Estadual de Saúde), Ponta Porã, Chapadão do Sul, Jardim e Naviraí estão com 100% dos leitos […]

Gabriel Maymone Publicado em 02/03/2021, às 08h46 - Atualizado às 14h39

Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax)
Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax) - Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax)

Com o rápido avanço da Covid-19, a saúde de Mato Grosso do Sul está á beira do colapso. Assim, 4 municípios já estão sem leitos UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) disponíveis.

Conforme o Painel Mais Saúde, da SES (Secretária Estadual de Saúde), Ponta Porã, Chapadão do Sul, Jardim e Naviraí estão com 100% dos leitos UTI ocupados. Outras 2 cidades já estão em alerta, ou seja, com taxa de ocupação acima de 90%, são elas: Campo Grande (91%) e Nova Andradina (94%).

No cenário geral, Mato Grosso do Sul está com ocupação de 85% dos 823 leitos, um dos piores cenários até agora da pandemia. Já para os leitos críticos exclusivos para pacientes Covid-19, a ocupação vai para 87,7%.

Campo Grande

Conforme o detalhamento do painel Mais Saúde, o município de Campo Grande possui 533 leitos UTI, sendo que 91% estão ocupados.

A situação é mais grave no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), que nessa segunda-feira (1º) estava com 98% dos leitos críticos ocupados. Dos 118 leitos UTI disponíveis, 99 estão ocupados com pacientes Covid-19.

Apesar de a situação na Capital estar à beira do colapso, vários municípios no interior acabam transferindo pacientes para Campo Grande. Segundo o secretário municipal de saúde, José Mauro, muitas cidades alegam falta de leitos e enviam os enfermos.

Jornal Midiamax