Cotidiano

Com quase 54 mil não vacinados, MS faz campanha para imunizar adolescentes contra covid

Campanha conta com atividades de conscientização e dia D com vacinação nas escolas

Mylena Rocha Publicado em 29/11/2021, às 11h05

São quase 54 mil adolescentes que não tomaram sequer a 1ª dose da vacina em MS.
São quase 54 mil adolescentes que não tomaram sequer a 1ª dose da vacina em MS. - Marcos Ermínio/Midiamax

Diante da proximidade das festas de fim de ano e o surgimento da variante Ômicron, aumenta a preocupação das autoridades de saúde com a lentidão na campanha de vacinação em Mato Grosso do Sul. São quase 54 mil adolescentes que não tomaram sequer a 1ª dose da vacina e, por isso, foi elaborada uma campanha com foco na juventude. 

A estratégia elaborada pelas secretarias de estado de Saúde e Educação foi divulgada nesta segunda-feira (29). O Diretor de Saúde e Assessor Técnico do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Marcello Fraiha, explica que a preocupação aumentou com o surgimento da nova variante. “Temos preocupação com a nova variante africana, que é a Ômicron, nos preocupa muito. Ela possui mais de 50 mutações, portanto, aqueles que não se vacinaram, vacinem-se”, reforçou. 

A titular da SED (Secretaria de Estado de Educação), Maria Cecília Motta, explicou que a campanha se mostrou necessária para conscientizar a população sobre a vacinação - principalmente os pais, que decidem se os filhos podem ser imunizados. A campanha começa nesta segunda (29) e segue até o dia 6 de dezembro. 

“Não é o jovem que decide por ele, depende do que a mãe pense, o que o pai pensa [para vacinar]. A nossa campanha tem o lema ‘Estudante inteligente confia na ciência, vacine-se’”, afirmou. 

A secretária de Educação reforça que a campanha deve ocorrer em todas as escolas do estado, tanto estaduais, como municipais e até particulares. A campanha deve ser orientada por áreas de conhecimento, com atividades que envolvem criatividade, como música e poesia, para conscientizar sobre a importância da vacina. 

Já no dia 7 de dezembro, está programado o Dia D da vacinação. A ação deve acontecer em uma escola de cada município. “É dia de aula, tenho certeza que a gestão da escola vai achar um jeitinho de levar o estudante para vacinar. Queremos ser os primeiros a vacinar o jovem de 12 a 18 anos e estamos contando com o diretor, o coordenador, o administrativo, os pais e os estudantes. Se apropriem da ciência”, reforçou. 

De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), são 53.995 adolescentes que não tomaram nem a 1ª dose da vacina em Mato Grosso do Sul. Além disso, 102.603 adolescentes não tomaram a 2ª dose da vacina. 

Com nova variante, 'todo cuidado é pouco'

Mas, afinal, Mato Grosso do Sul deve se preocupar com o surgimento da variante Ômicron? Considerando uma das taxas de imunização mais altas do país, com 70% da população geral imunizada e 89% dos adultos com as duas doses tomadas, MS conquistou uma posição considerada ‘confortável’ na pandemia, com uma média móvel de mortes abaixo de dois. Mesmo assim, o infectologista da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e professor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Julio Croda, avalia que uma nova variante oferece riscos. 

“Com certeza [há riscos]. Ainda não temos dados em relação ao escape da resposta imune, então todo cuidado é pouco neste momento, principalmente para reduzir a transmissão”, reforça o médico.

Jornal Midiamax