Cotidiano

Com pandemia e tempo seco, doações caem e Hemosul fica em alerta com baixo estoque

Todas as tipagens são bem-vindas, especialmente O+, O- e B+

Mylena Rocha Publicado em 13/08/2021, às 09h05

None
Divulgação/Governo de MS

A pandemia e o tempo seco têm atrapalhado as doações em Mato Grosso do Sul. O Hemosul está em alerta para o baixo estoque de sangue e pede que a população pratique o ato de doar. Nesta época do ano, quando há ‘friozinho’ e baixa umidade do ar, as pessoas acabam desanimando e a queda nas doações chega a 70%. 

De acordo com o Hemosul, outro fator que acaba atrapalhando as doações é a campanha de vacinação contra o coronavírus, já que os vacinados ficam temporariamente desabilitados de doar sangue. 

“Nós sentimos essa queda nas doações todos os anos nesses meses de temperaturas mais baixas. Com a pandemia ficou ainda mais crítico, pedimos o apoio de toda a população do estado para que procurem os bancos de coleta e façam sua doação. A cada bolsa doada podemos salvar até quatro vidas e precisamos da ajuda de vocês para continuarmos ajudando aqueles que precisam”, apela a Coordenadora Geral da Rede Hemosul, Marli Vavas.

Todas as tipagens sanguíneas são bem-vindas, em especial, O+ que está apenas com 39% do estoque estratégico; já o tipo O- com apenas 29% ; B+ com 30% do estoque. Para fazer sua doação, é preciso estar com documento oficial com foto, em boas condições de saúde, não estar gripado, com doenças respiratórias ou infecções, estar bem alimentado e hidratado. Também é preciso ter entre 16 e 69 anos e pesar no mínimo 55 quilos.

Me vacinei, e agora? De acordo com o Hemosul, quem já tomou a vacina contra a Covid-19 precisa esperar para fazer sua doação. Os vacinados com a Coronavac devem esperar 48 horas e quem for vacinado com a Pfizer, Astrazeneca ou Janssen o prazo é de 7 dias.

Jornal Midiamax