Cotidiano

Com lote para vacinação em massa na fronteira, MS recebe 233 mil doses contra covid nesta semana

Do total, 165,5 mil serão destinados para vacinação em massa em 13 cidades da fronteira

Gabriel Maymone Publicado em 29/06/2021, às 09h34

Remessa chega essa semana no Aeroporto Internacional de Campo Grande
Remessa chega essa semana no Aeroporto Internacional de Campo Grande - Leonardo de França / Midiamax

Mato Grosso do Sul irá receber lote com 233 mil doses de vacina contra covid esta semana, informou o Ministério da Saúde. Dessas, 165,5 mil serão para a vacinação em massa em 13 municípios da fronteira. Ainda sem data para chegada, MS receberá: 26.910 da Pfizer e 41.550 da Janssen - que é de aplicação única.

Conforme o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, as 68.460 restantes serão divididas entre os demais 66 municípios do Estado, que irão repartir porcentagem maior na divisão das doses. "As próximas remessas regulares serão distribuídas entre os 66 municipios, enquanto os 13 municípios de fronteira recebem as doses para a realização de estudo epidemiológico [que será conduzido pela Fiocruz]”, explicou.

Por exemplo, Campo Grande tem direito a 32% do total de doses que chegam. Isso significa que se MS receber 100 mil doses de vacina, a Capital fica com 32 mil. Com a nova distribuição, o município teria direito a cerca de 38% das doses pertencentes às próximas remessas, que proporcionaria uma possibilidade de avanço mais rápido no ritmo de imunização.

'Cinturão sanitário'

A vacina americana é de aplicação única e será utilizada para estudo epidemiológico conduzido pelo médico infectologista e pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Júlio Croda. O estudo será realizado pelo grupo Vebra Covid da Fiocruz (capitaneado por Croda), com apoio da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e das universidades dos Estados Unidos de Stanford, Yale e Miami.

O especialista explicou que  todos acima de 18 anos que ainda não foram vacinados com outros imunizantes receberão dose da Janssen. Os pesquisadores vão monitorar o impacto da vacina em relação a imunidade coletiva e vão comparar os dados com outros 13 municípios similares. Também serão monitoradas a incidência da doenças em crianças e adolescentes, que ainda não podem receber vacina.

A mobilização para que MS recebesse doses extras envolveu grande mobilização política. "Fizemos solicitação para a bancada federal, os senadores de MS foram ontem de manhã ao ministro, governador fez ligações, a ministra Tereza Cristina ligou ao ministro para termos esse fundo de reseva, tivemos apoio do Conass e Conassems. Todos participaram dessa conquista", disse o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende.

Jornal Midiamax