Cotidiano

Com expectativa de melhora a partir de maio, média de mortes por coronavírus cai 19% em MS

Estado passa por estabilidade na pandemia, porém em patamares altos

Mylena Rocha Publicado em 19/04/2021, às 14h00

None
Marcos Morandi/Midiamax

Depois de chegar ao pico da pandemia de coronavírus em março, Mato Grosso do Sul entrou em período de estabilidade. Nesta segunda-feira (19), o Estado registra média de 45,4 mortes por dia, uma redução de 19,3% em apenas uma semana. Contudo, os dados ainda não podem ser comemorados, o Estado vive um período de estabilidade, mas ainda em patamares altos. 

Dados apresentados em boletins epidemiológicos da SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontam que na última semana, o Estado teve 317 mortes por coronavírus. Nesta segunda (19), MS calculou média de 45,4 óbitos por dia. Há uma semana, a média móvel era de 56,3 mortes diárias, o que representa uma redução de 19,3%. 

Conforme dados do consórcio de imprensa, Mato Grosso do Sul é um dos 13 estados brasileiros que vivem uma estabilidade na pandemia de coronavírus. Nesta segunda (19), a SES também apresentou um dado positivo: a queda na taxa de contágio. O Estado, que estava com taxa em 1,12, mas agora tem uma taxa em 1,05. Porém, o dado ainda não deve ser encarado como uma justificativa para relaxar com as medidas de prevenção à Covid-19. 

Durante a live da SES, a secretária adjunta Crhistinne Maymone ressaltou que apesar da queda na média móvel e na taxa de contágio, os números são preocupantes. Ela explica que Mato Grosso do Sul estabilizou com números altos. Maymone explicou que a doença tem tendência de mudança rápida e, se o número de casos voltar a aumentar, o Estado pode enfrentar momentos ainda piores na pandemia. Por isso, ela pediu colaboração da população. “Precisamos continuar com as medidas preventivas, uso de máscaras, manter o distanciamento social e higiene das mãos”.

Mesmo com a estabilização, o Estado ainda enfrenta o colapso na saúde. Dados desta segunda-feira (19) apontam que MS registra taxa de ocupação de leitos UTI exclusivos para pacientes graves de covid de 104%. Conforme os dados repassados pelos hospitais, o sistema de saúde de MS atende 24 pacientes além da capacidade. 

‘Fecha tudo’ contribuiu para estabilização

A melhora, ainda que leve, na pandemia de coronavírus tem se apresentado desde que foram tomadas medidas restritivas no Estado. Por 10 dias, as cidades de MS ficaram com um regime parecido com lockdown, quando a maioria dos estabelecimentos não pode abrir as portas e houve toque de recolher ainda mais rígido aos finais de semana. 

Um estudo da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) apontou que a situação deve melhorar a partir de maio em Campo Grande. O estudo calculou o pico da pandemia para o dia 30 de abril. O pico indica o auge da pandemia de coronavírus, o que quer dizer que o número de casos pode começar a diminuir em maio. 

Jornal Midiamax