Cotidiano

Com ensino a distância, estudantes ainda estão inseguros quanto aos resultados em vestibulares de inverno

Cursinhos pré-vestibulares deixaram a escolha da modalidade para os alunos

Fábio Oruê Publicado em 12/05/2021, às 14h12

Alguns alunos optaram por continuam no ensino remoto, mesmo sabendo de alguns risco para a produtividade
Alguns alunos optaram por continuam no ensino remoto, mesmo sabendo de alguns risco para a produtividade - Foto: Arquivo/ Jornal Midiamax

A modalidade de ensino a distância imposta pela pandemia do coronavírus tem feito com que estudantes que fazem cursos preparatórios ainda sintam certa insegurança quanto aos resultados das provas, devido aos impedimentos que o EAD (Ensino a Distância) tem. 

O estudante José Heitor, de 19 anos, faz cursos preparatórios desde o ano 2019 e percebeu uma mudança drástica no rendimento quando a pandemia começou e os estudos tiveram que ser feitos em casa. 

"É mais você por você mesmo em casa e mesmo que você tenha contato direto com o professor virtualmente, não é a mesma coisa que tirar uma dúvida presencialmente", disse ele ao Jornal Midiamax. 

Segundo Heitor, quando teve a oportunidade ele voltou ao ensino presencialmente, mas a insegurança ainda é presente. "Sempre tem", revelou ele.

A curso  onde José estuda deixou em aberto para os alunos escolherem entre o ensino remoto e o presencial, seguindo as regras de biossegurança. "Muitos deles não conseguiram se adaptar estudando em casa; foi uma reclamação recorrente dos clientes", explicou o diretor de um curso pré-vestibular em Campo Grande, Adriano de Melo.

De acordo com o gestor, mais da metade dos alunos optaram por continuar com o ensino remoto e uma parcela menor optou pelo híbrido, ou seja, um dia de estudo a distância e outro presencial. "Eles entendem que não é o momento certo para retomar totalmente. Muitos alunos moram com pais, avós e pessoas do grupo de risco", disse Adriano. 

Diferente de José, a estudante Maria Romualdo, de 19, optou por seguir com o ensino remoto no curso, mas que também tem medo do resultado final do vestibular. 

"A gente está acostumada a ter um tipo de contato com o professor; um tipo de ensino, então em uma modalidade que a gente não está muito acostumada dá um medinho sim", opinou ela. 

Jornal Midiamax