Cotidiano

Com demanda reprimida, campo-grandenses 'doidos' para viajar devem lotar destinos no interior

Bonito já está com os 6 mil leitos da rede hoteleira reservados para o feriadão

Gabriel Maymone e Gabriel Neves Publicado em 06/10/2021, às 10h42

Turista campo-grandense deve aproveitar feriadão para lotar destinos naturais de MS
Turista campo-grandense deve aproveitar feriadão para lotar destinos naturais de MS - Leonardo de França / Midiamax

A melhora no cenário da covid fez surgir uma demanda reprimida de turistas em Mato Grosso do Sul. Assim, a expectativa para o feriadão do próximo fim de semana é de que os campo-grandenses aproveitem destinos naturais próximos como Bonito, Jardim, Bodoquena e Rio Verde.

O proprietário de uma agência de viagens, Samuel Magela, afirma que a procura por destinos para o feriadão de outubro aumentou nas duas últimas semanas. "Existe uma demanda reprimida do pessoal que ficou sem viajar. Essa é a primeira oportunidade mais sólida, com liberações de destinos e possibilidades de viajar. A demanda está gigante, pelo menos 5 vezes maior que o normal", avaliou.

Conforme o empresário, o campo-grandense não está se importando muito como destino, mas, sim, em viajar. "A gente percebe que a pessoa está interessada em viajar, não muito com o destino. Os que tiverem possibilidade e estiverem mais em conta, têm desejo da viagem", explica.

Interior vai 'bombar'...

Um dos destinos próximos mais cobiçados pelos campo-grandenses é Bonito, a 285 quilômetros de Campo Grande, que já está com a rede hoteleira lotada, segundo informou a secretária municipal de turismo, Juliana Salvadori. São aproximadamente 6 mil leitos reservados para turistas, a maioria de Campo Grande.


Bonito é o principal destino turístico de MS para o feriadão e já não tem mais vagas para a rede hoteleira 

Para o agente de viagens, Nivaldo Silva de Souza, as flexibilizações nas restrições impostas devido à covid como o fim do toque de recolher ajuda o turismo. "Bonito não é um destino barato, mas é mais fácil de se programar para ir para lá", disse, explicando que as incertezas sobre o futuro deixam as viagens mais distantes em aberto como os passeios de fim de ano, por exemplo.

A situação é semelhante em Rio Verde de MT, que fica a apenas 210 quilômetros da Capital. A recepcionista de um dos hotéis da cidade, Gabriela Castro, afirma que o estabelecimento deve passar lotado. "Está tendo bastante procura, creio que vai vir bastante gente. A expectativa é encher, como a pandemia melhorou esse ano, deve dar um movimento bom", comentou.


Rio Verde é conhecida pelas cachoeiras e deve lotar nesse feriadão - Foto: Divulgação

Preços altos frustram sonhos

Por outro lado, muitos vão ficar só no desejo da viagem, pois alegam dificuldades financeiras para viajar no feriadão. É o caso de Anciana Oliveira, 40 anos, que trabalha em um frigorífico. "Está tudo caro, não dá para ficar gastando com gasolina e comida", lamentou.

O autônomo José Jacker, 53 anos, vai conseguir dar uma esticada com a família para um rancho, mas nada além disso. Ele mora com a esposa e a filha e disse que não pretende reunir a família toda e nem mesmo viajar para não 'gastar à toa'. "Por enquanto é melhor dar uma economizada, não compensa gastar para viajar e ficar só uns dias", pontuou.


Autônomo José Jacker diz que não vai viajar para 'dar uma economizada' - Foto: Leonardo de França / Midiamax

Outro entrevistado pela reportagem, que não quis se identificar, disse que mora com a esposa e vai trocar a viagem por um almoço com o filho. "Está difícil viajar, tudo muito caro", justificou.

Mais jovem, Felipe Costa, 20 anos, disse que vai aproveitar para curtir com os amigos, mas descartou viajar no feriado. Ele mora com os pais e disse que a família tem costume de viajar apenas no fim de ano, então, acredita que vão passar o feriadão em Campo Grande.


Felipe Costa, de 20 anos, disse que vai aproveitar folga para curtir com amigos - Foto: Leonardo de França / Midiamax

Jornal Midiamax