Cotidiano

Com casos confirmados no Paraná, variante Delta já pode estar circulando em MS

A cidade de Apucarana (PR) teve a 1ª morte registrada da variante no país e fica próxima à divisa com MS

Nathália Rabelo Publicado em 27/06/2021, às 10h40

Sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Sequenciamento genômico do vírus SARS-CoV-2, realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) - Divulgação: Governo do Paraná

A variante Delta, da Covid-19, já fez sua primeira vítima no Brasil na cidade de Apucarana (Paraná), a 260 km da divisa com Mato Grosso do Sul. O óbito ocorreu no fim de abril, mas só foi relatado na última sexta-feira (26) e confirmado pelo Ministério da Saúde. Por causa da proximidade entre os dois Estados, existe a possibilidade que a variante já esteja circulando no território sul-mato-grossense.

De acordo com Júlio Croda, médico infectologista e pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), a variante Delta – identificada na Índia e também conhecida pela sequência B.1.617 – já pode ter chegado a MS por dois motivos: pela divisa com o Paraná e, principalmente, pelos voos e pessoas que estão chegando de outros países ao Estado. Essa, na verdade, é uma realidade que pode afetar todo país.

“É possível em todo o Brasil, não só por conta da proximidade do Paraná, mas por conta dos voos, principalmente os que vêm da Europa. Foi assim que chegou o Covid que veio da Itália. A gente sabe que Portugal é um país que atualmente tem muita variante Delta. Então, muito provavelmente essa variante vai chegar no Brasil e já está chegando pela Europa”, afirma o pesquisador.

A variante Delta é, pelo menos, 2 vezes mais transmissível do que a P1 (Gama) e, consequentemente, mais letal.

1ª morte por variante Delta

Uma gestante de 42 anos, que veio do Japão para Apucarana (PR), no norte do Paraná, foi a primeira paciente que morreu com diagnóstico da variante Delta. A informação foi confirmada pelo Ministério da Saúde.

Ela fez a coleta do RT-PCR para diagnóstico da Covid-19 antes de embarcar para o Brasil, e o resultado foi negativo para a doença. Dois dias depois de chegar ao país, no dia 7 de abril, ela começou a apresentar sintomas respiratórios, fez um novo exame e o resultado deu positivo.

No dia 15 de abril, oito dias após a confirmação do diagnóstico, a mulher foi internada. Devido ao agravamento dos sintomas, no dia 18 de abril, ela passou por uma cesariana de emergência, ela não resistiu e morreu logo depois do procedimento cirúrgico.

O recém-nascido, prematuro de 28 semanas, ficou internado até o dia 18 de junho e teve o resultado do exame negativo para a infecção da Covid-19. Óbito foi relatado na última sexta-feira (26).

Transmissão em Goiânia

Recentemente, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) anunciou que foi detectada em Goiânia a variante Delta do coronavírus, identificada pela primeira vez na Índia. O secretário Durval Pedroso revela que a descoberta foi feita após pesquisa que mapeou variações genéticas do vírus.

Conforme nota da SMS, estudo foi realizado em parceria com a Universidade Federal de Goiás, que testou 62 pessoas, mas apenas uma jovem foi confirmada com a mutação do vírus. Ela teve sintomas leves e não precisou ser internada.

Jornal Midiamax