Cotidiano

Com avanço da vacinação, turismo tem 'guinada'; confira destinos mais escolhidos

Viagens nacionais ocupam 90% da demanda

Ranziel Oliveira Publicado em 16/05/2021, às 09h32

Mês de maio apresentou mudanças no comportamento do cliente
Mês de maio apresentou mudanças no comportamento do cliente - (Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

Com o aumento no número de vacinados e a retomada parcial da rotina, o comportamento do campo-grandense tem mudado começado a animar o setor de turismo. O anseio por suprir o desejo das viagens voltou aos debates familiares e dos apaixoandos por novas experiências, buscando viagens nacionais, em sua maioria, com destinos calmos e sem aglomeração.

A sócia-proprietária da agência Viaje Mais Turismo, Alessandra Duailibi, tem sentido os reflexos da vacinação e projeta um prognóstico positivo para os próximos meses. “De abril para maio houve um aumento na procura de orçamentos para as férias de julho, e viagens para setembro e outubro. Comparado ao mesmo período do ano passado, está 50% maior”, explicou.

[Colocar ALT]
Praias são os destinos mais procurados (Foto: Leonardo de França / Jornal Midiamax)

Em sua maioria, os destinos mais procurados são para descanso e isolamento. Como as praias de Maragogi, Maceió e São Miguel, todas no nordeste. “O brasileiro redescobriu o Brasil. O fato de não poder ir para o exterior, fez com que ele conhecesse hospedagem de luxo, pousadas e locais que eram totalmente desconhecidos no país”, disse ela.

A mudança de comportamento é ratificada em números, cerca de 90% do público da agência procura destinos nacionais, o que segundo Duailibi, manteve postos de trabalho no setor. Para viagens internacionais, os destinos mais procurados são as Ilhas Maldivas, México e República Dominicana. “Acredito que até o fim do ano as viagens intencionais serão retomadas normalmente”, finalizou.  

Aumento nas viagens de carro 

A valorização do turismo interno também foi sentida pelo sócio-proprietário da GMS Tour, Gustavo Maciel, o perfil do viajante se adaptou as restrições fronteiriças, buscando por deslocamento fácil e de baixo custo. “Com as fronteiras fechadas muitas pessoas estão viajando de carro. Da nossa região, estão indo para o litoral de São Paulo e Búzios no Rio de Janeiro. No Estado, Bonito e Rio Verde”, disse ele.

Em uma análise de dados, o proprietário acredita que o movimento deve voltar gradualmente, conforme o aumento no número de vacinados e a reabertura das cidades. “Comparado com outros meses, janeiro teve uma alta de 60%, em março e abril caiu para 10%, e hoje subiu em torno de 25% a 30%. Acredito que a partir de junho e julho, já devemos ter um reflexo das pessoas voltando a viajar”, disse ele.

Aumento nas cotações

A busca por locais tranquilos e com biossegurança tem sido um fator determinante para quem pretende viajar. O gerente da Campo Grande Turismo, Nivaldo Silva, também é um dos que sentiram essa mudança no segmento. “As pessoas ficaram estressadas. Aqueles que tem costume de viajar estão sedentos. E aqueles que não tem estão procurando para desestressar. Acredito que conforme a segurança aumenta a procura será maior”, disse ele.

Na empresa, o aumento na procura por cotações ficou em torno de 10% a 15%, comparado com o mesmo período do mês passado. A maioria dos destinos continua sendo as tradicionais praias do Nordeste em Porto Seguro, Natal e João Pessoa. “O perfil de viagens nacionais não mudou muito. Hoje o foco é 90% Brasil e 10% exterior. Quem procura viagens internacionais é por trabalho, mora ou tem parentes fora do país. Por conta da pandemia, quem quer viajar fica mais no Brasil mesmo”, finalizou.

Jornal Midiamax