Cotidiano

Com aplicação da Coronavac, internações devem cair pela metade em MS

Caso a vacina contra a Covid-19 já fosse aplicada nos sul-mato-grossenses com 60 anos ou mais, cerca de 49% das internações diminuiriam.

Dândara Genelhú Publicado em 14/01/2021, às 06h59 - Atualizado às 12h07

(Foto: Breno Esaki)
(Foto: Breno Esaki) - (Foto: Breno Esaki)

Mato Grosso do Sul poderia ter diminuição de aproximadamente 50% nas internações por Covid-19 caso a Coronavac já estivesse em aplicação em parte dos grupos prioritários – no caso, pessoas com 60 anos ou mais. O imunizante é desenvolvido em parceria entre a farmacêutica chinesa Sinovac e o Instituto Butantan.

A simulação, feita pelo Jornal Midiamax, leva em conta o grupo que deverá ser anunciado como prioritário e o grau de eficiência do imunizante para casos graves. De acordo com dados divulgados pelo Butantan, a vacina é 100% eficaz em casos graves da doença. Desta forma, foram cruzadas as idade de pacientes internados no Estado, a partir dos microdados divulgados diariamente pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

De acordo com a pasta, MS registrou 234 internações entre os dias 1º e 12 de janeiro de 2021, em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Deste total, 115 pacientes têm 60 anos ou mais, o que corresponde a 49% do total de internações.

A simulação leva em conta que estes serão os primeiros a serem vacinados. Ainda que a imunização seja fracionada entre os idosos, seguindo o plano de vacinação de São Paulo, MS ainda vacinaria 40,8% de pessoas deste grupo de risco nas primeiras rodadas. Pessoas com 75 anos ou mais devem ser as primeiras a receberem a imunização, dentre todos os idosos.

Vale lembrar que, apesar de não fazerem parte da faixa etária com mais casos de coronavírus, idosos são os mais afetados pela doença. Na estatística geral, considerando o total de infectados, o grupo corresponde a 12,9% do total de infectados. A segunda faixa etária mais afetada são pessoas de 50 a 59 anos, que representam 22%. Seguidas de pacientes de 40 a 49 anos, com 13% das internações deste ano.

Coronavac para os sul-mato-grossenses

Mato Grosso do Sul deve receber 1.781.246 doses da CoronaVac, a vacina para Covid-19, conforme projeções do Ministério da Saúde. Isso já seria o suficiente para imunizar 890.623 pessoas do grupo de risco de MS. Porém, ainda não há confirmação da quantidade que deve chegar já na primeira remessa, prevista entre os dias 20 de janeiro e 10 de fevereiro.

Por sua vez, o Ministério da Saúde afirma que podem ocorrer alterações nas quantidades, pois “o Plano de Vacinação é dinâmico. Por isso podem ocorrer ajustes necessários nas fases de distribuição das vacinas e nas indicações de público-alvo, de acordo os cenários já planejados. Considerando a indicação de uso apresentada pelo fabricante, o quantifico de doses entregues e os públicos prioritários já definidos”, informou em nota.

Ministério da Saúde informou ao Jornal Midiamax que as doses devem ser distribuídas a MS no prazo de até 5 dias após a liberação para uso emergencial da vacina pela Anvisa.

Entenda a eficácia da Coronavac

Resultados da eficácia de 50,38% da Coronavac em cenário global, divulgados na última terça-feira (12), assustaram os brasileiros. Entretanto, é preciso ter em mente que o índice significa que mais de 50% das pessoas que forem imunizadas não serão infectadas pelo coronavírus.

Além disto, o Instituto Butantan já havia publicado dados detalhados da eficácia da vacina em casos isolados. A Coronavac é 100% eficaz em casos graves e moderados. Então, das pessoas que ainda pegarem Covid-19, nenhuma deve ter complicações graves da doença.

Para casos leves, a vacina é 78% eficaz. Ou seja, de um grupo de 100 pessoas que receberem a imunização e foram infectadas pelo vírus, 78 não terão evolução no quadro da doença, ainda que sintam algum sintoma leve.

Jornal Midiamax