Cotidiano

CDL repudia bar flagrado lotado: 'vai de encontro aos que se esforçam para seguir os protocolos'

Evento possuía cerca de 300 pessoas que não seguiam nenhum tipo de protocolo exigido pelas autoridades de saúde

Gabriel Neves Publicado em 07/06/2021, às 12h10

Imagem aérea mostra aglomeração com cerca de 300 pessoas no local.
Imagem aérea mostra aglomeração com cerca de 300 pessoas no local. - (Foto: Divulgação)

A CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande) publicou uma nota de repudio nesta segunda-feira (7) sobre o flagrante ocorrido no bar Rota Acústica, que promovia uma festa com cerca de 300 pessoas, no último sábado (5).

O flagrante realizado pela Vigilância Sanitária ganhou notoriedade por ocorrer no mesmo dia em que Mato Grosso do Sul chegava aos 300 mil casos confirmados de covid-19, hoje já são 303.209 casos.

Em nota, a CDL afirmou que repudia os fatos e afirmou que o caso vai “de encontro à maioria absoluta de bares, restaurantes e promotores de eventos que se esforçam para seguir todos os protocolos”.

A entidade ainda disse que estes locais “não representam” a categoria e afirmou não pactuar com a falta de responsabilidade e consciência demonstrada pelo estabelecimento.

“Os fatos ocorridos demonstram a necessidade de se ampliar a fiscalização, que tem apoio da entidade, coibindo os que insistem em descumprir as regras e fortalecendo aqueles que fazem sua parte”, complementou a entidade.

O flagrante

A Vigilância Sanitária de Campo Grande lacrou o bar no último sábado (5) que realizava festa com aproximadamente 300 pessoas. O Rota Acústica, onde ocorreu o evento, fica no Jardim Veraneio.

A fiscalização teve início por volta das 18h40, em uma ação conjunta envolvendo a GCM (Guarda Civil Metropolitana), a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), a Vigilância Sanitária e Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

A partir de denúncia via número 153, as equipes foram ao local e constataram as irregularidades. Neste sentido, o estabelecimento foi lacrado conforme termo de interdição nº 2228.

Jornal Midiamax