Cotidiano

Família reclama de médico sem luvas em UPA para atender paciente com sintomas de covid

Médico sequer testou o paciente, que insistiu pelo exame e deu positivo

Renata Barros Publicado em 23/09/2021, às 10h52

Casal foi até a UPA por volta das 13h na sexta-feira
Casal foi até a UPA por volta das 13h na sexta-feira - Foto: Arquivo/Midiamax

Um casal procurou a UPA Leblon na tarde da última sexta-feira (17) com febre, tosse e dores musculares, sintomas de covid-19. Segundo a mulher, de 58 anos, ela e o esposo, de 54 anos, foram atendidos por um médico que estava sem luvas e jaleco.

Durante a consulta, eles teriam solicitado a realização de um teste para diagnóstico de Covid-19, mas o médico teria negado, dizendo não haver necessidade. De acordo com a mulher, o médico não realizou a ausculta pulmonar, exame físico utilizado para identificar ruídos nos pulmões.

Eles deixaram a unidade de saúde com receita de medicamentos, como antibiótico e corticoide. “O médico só passou a medicação sem atender que nós queríamos fazer um teste. Resumindo: só pioramos, o final de semana foi horrível”, relata a moradora.

Nesta segunda-feira (21), o casal foi até o Centro de Testagem da Prefeitura, na Rua Barão do Rio Branco, onde realizou exame de detecção de antígeno, que deu positivo para a Covid-19. Eles seguem em isolamento em casa. "Meu marido está melhor. Eu estou no período crítico com muito cansaço e tosse, mas estamos tomando a medicação certinho", conta a mulher.

Em nota, enviada pela assessoria de comunicação, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informa que "o médico possui a prerrogativa de adotar a conduta que acredita ser a mais adequada para cada caso, neste caso, é importante ressaltar que para a realização do exame de Covid-19, seja o RT-PCR ou a Teste rápido de Antígeno, é necessário um período após o início dos primeiros sintomas antes da realização do exame, para evitar casos de "falsos negativos". Quanto às vestimentas do profissional, o uso de luvas cirúrgicas e jaleco não é obrigatório dentro de consultório".

Fala Povo

O leitor pode falar direto no WhatsApp do Jornal Midiamax pelo número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Se preferir, você também pode falar com o Jornal direto no Messenger do Facebook.

Você pode enviar flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax