Cotidiano

Campo Grande tem oito das 11 linhagens do coronavírus circulando, aponta SES

Dentre elas, estão a P1 e P2, consideradas mais letais e infecciosas

Dândara Genelhú Publicado em 23/04/2021, às 07h53

No Estado, onze linhagens diferentes já foram confirmadas.
No Estado, onze linhagens diferentes já foram confirmadas. - Foto: Reprodução.

Das onze linhagens do coronavírus que circulam em Mato Grosso do Sul, oito já foram confirmadas em Campo Grande. A cidade é a que tem mais variantes do vírus no Estado. 

As linhagens são genomas sequenciados pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) de MS. O sequenciamento promove a identificação da formação molecular do coronavírus.

Assim, os dados foram divulgados pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). São consideradas 128 amostras analisadas, de 38 municípios do Estado.

Dentre as nove linhagens, estão duas variantes: a P1 e P2. Para o Governo do Estado, estas cepas causaram aumento da letalidade da Covid-19 em MS. De acordo com infectologistas, elas atingem os jovens e apresentam evolução para quadros graves da doença mais rapidamente.

Então, Campo Grande sofre com as duas variantes brasileiras e outras linhagens do coronavírus nacionais e internacionais. Confira quais genomas já foram encontrados na Capital:

  • B.1.1.28:  Linhagem brasileira;
  • B.1.1.33:  Linhagem brasileira;
  • P.2: Linhagem brasileira que surgiu no Rio de Janeiro;
  • P.1: Linhagem brasileira que surgiu em Manaus, variante descendente da linhagem B.1.1.28. Variante de preocupação, indicada por algumas pesquisas como altamente transmissível e maior potencial de gravidade;
  • B.1:: Grande linhagem europeia cuja origem corresponde aproximadamente ao surto no norte da Itália no início de 2020;
  • B.1.1:  Linhagem européia;
  • B.1.212: Linhagem Sul Americana;
  • N.4: Surgiu no Chile derivada da B.1.1.33.4.
Jornal Midiamax