Cotidiano

Campo Grande atinge 85,5% de lotação de UTIs e dois hospitais ficam sem vagas

Nesta sexta-feira (08), Campo Grande atingiu 85,5% de lotação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

Dândara Genelhú Publicado em 08/01/2021, às 18h00

Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax)
Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax) - Secretário da Saúde disse que MS deve ter mais 102 leitos e atingiu limite de expansão de vagas. (Foto: Arquivo Midiamax)

Nesta sexta-feira (08), Campo Grande atingiu 85,5% de lotação nos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Na Capital, dois hospitais estão sem vagas disponíveis para novas internações.

De acordo com o Painel Mais Saúde, disponibilizado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), existem apenas 53 leitos de UTI disponíveis na Capital. Então, dos 519 leitos registrados, 466 estão ocupados.

Assim, os dois hospitais que não possuem vagas para novas internações são o Proncor e a Clínica de Campo Grande. No Proncor, 20 UTIs estão ocupadas, e na Clínica de Campo Grande são 31 na mesma situação.

Quase atingindo lotação de 100%, o Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian) está com apenas uma UTI disponível, das 30 registradas no hospital. No Hospital Adventista do Pênfigo existem nove vagas para novas internações, sendo que 41 leitos estão ocupados.

Então, também com nove leitos disponíveis, a Cassems possui 47 UTIs ocupadas. No Hospital El Kadri, cinco leitos podem garantir novas internações, outros 25 já estão sendo utilizados. No HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), que possui 138 UTIs, 14 ainda estão disponíveis.

Já na Unimed, apenas sete leitos estão disponíveis, dos 50 registrados. Por fim, na Santa Casa foram registradas 106 internações em UTI, assim, oito seguem livres para novos pacientes.

Jornal Midiamax