Cotidiano

Campo Grande aguarda definição sobre número de doses para definir 2ª aplicação da CoronaVac

A expectativa é de que ainda nesta terça-feira o Ministério da Saúde envie mais doses

Gabriel Maymone Publicado em 11/05/2021, às 09h41

Último lote de CoronaVac chegou na sexta-feira (07) em MS
Último lote de CoronaVac chegou na sexta-feira (07) em MS - Divulgação

Com expectativa de receber novas doses de CoronaVac ainda nesta terça-feira (11), Campo Grande ainda aguarda a definição do número de vacinas que receberá para definir o público que irá receber.

Conforme adiantado na segunda-feira (10) pelo secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, ao Jornal Midiamax, todas as doses recebidas serão destinadas para a 2ª aplicação. "Vamos respeitar quem está com mais tempo de atraso [para receber a 2ª dose]", disse.

O último lote de CoronaVac recebido foi no sábado (08), quando MS teve 13,3 mil doses para aplicação neste público em atraso. A orientação do Ministério da Saúde é que a população deve tomar a segunda dose da vacina covid mesmo que a aplicação ocorra fora do prazo recomendado, para se completar o esquema vacinal para assegurar a proteção adequada.

Com poucas doses, foi possível avançar pouco no calendário de vacinação de quem está com a imunização atrasada. Dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde) mostram que há mais de 130 mil pessoas com a aplicação da 2ª dose de CoronaVac atrasada em todo o Estado. 

Estoque acabou em Campo Grande

Nesta segunda-feira (10), Campo Grande continuou com a imunização da segunda dose da Coronavac contra o coronavírus. No entanto, as senhas acabaram antes do atendimento encerrar e as doses não foram suficientes para colocar em dia o público com a vacinação atrasada.

No sábado (8), a Capital recebeu pouco mais de 3,1 mil doses da Coronavac. Então, no domingo (9), já retomou a vacinação da segunda dose em agendados para aplicação em 21 de abril.

No entanto, as doses não foram suficientes e as senhas foram todas distribuídas. A vacinação aconteceu na Seleta, até às 17h. O atraso na vacinação se deve aos poucos imunizantes enviados pelo Ministério da Saúde.

Jornal Midiamax