Cotidiano

Campo Grande aguarda 10 mil vacinas para aplicar 2ª dose em idosos acima de 80 anos

Campo Grande pode receber 10 mil doses de vacina na remessa que deve ser encaminhada a Mato Grosso do Sul na próxima semana. A informação ainda não é oficial, mas caso o quantitativo seja confirmado, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) quer aplicar a segunda dose da vacina nos idosos com 80 anos ou mais […]

Mylena Rocha Publicado em 19/02/2021, às 09h47

MS já aplicou primeira dose em mais de 122 mil pessoas. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
MS já aplicou primeira dose em mais de 122 mil pessoas. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - MS já aplicou primeira dose em mais de 122 mil pessoas. (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Campo Grande pode receber 10 mil doses de vacina na remessa que deve ser encaminhada a Mato Grosso do Sul na próxima semana. A informação ainda não é oficial, mas caso o quantitativo seja confirmado, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) quer aplicar a segunda dose da vacina nos idosos com 80 anos ou mais na Capital.

Campo Grande aguarda 10 mil vacinas para aplicar 2ª dose em idosos acima de 80 anos
Secretário comentou sobre a falta de informações a respeito das doses a serem enviadas. (Foto: Marcos Ermínio)

O secretário José Mauro Filho explica que as informações sobre o quantitativo de doses a serem encaminhadas para o Estado mudam com rapidez e que ainda não foi emitido um posicionamento oficial do Ministério da Saúde sobre as vacinas que serão encaminhadas na próxima semana. 

“A informação é de que seriam 2,9 milhões [de doses] para o Brasil todo. Aí, teremos em torno de 10 mil doses para Campo Grande”, explica. 

Caso Campo Grande receba 10 mil doses da vacina Coronavac, a Sesau prevê continuar a aplicação da segunda dose da vacina. A segunda dose já tem sido aplicada em idosos que vivem em asilos, acamados e profissionais da saúde. Com as novas doses, o município deve iniciar a aplicação da segunda dose nos idosos de 80 anos ou mais. 

José Mauro Filho cita que, como não há informações oficiais sobre o quantitativo de doses, o município não consegue montar um calendário de vacinação com antecedência. “Não há nenhuma nota oficial sobre isso para que a gente possa passar essa informação com a segurança que o momento exige. A gente precisa lançar um calendário que a gente consiga cumprir”, frisa.

Jornal Midiamax