Cotidiano

Após recordes negativos, Rio Paraguai marca 4 centímetros e apresenta 'tendência de elevação'

Previsão é que próximas chuvas aumentem ainda mais o nível do rio

Fábio Oruê Publicado em 22/11/2021, às 17h18

Com a seca, bancos de areia se formaram no rio
Com a seca, bancos de areia se formaram no rio

Depois de registrar a 2ª mínima histórica em 121 anos de medição, na régua de Ladário, o rio Paraguai está apresentando “tendência de elevação”, segundo boletim do CPRM (Serviço Geológico do Brasil). Nesta segunda-feira (22), a altura do rio na estação ladarense é de 4 centímetros.

A avaliação do comportamento do rio Paraguai, feita pelo CPRM, indica que  "tal fato se deve, sobretudo em função dos significativos acumulados de chuva que incidiram na região ao longo desses últimos dias. Apesar disso, os valores registrados nas estações fluviométricas continuam ainda se situando na zona de atenção para mínimas, ou seja, abaixo da cota de permanência de 90%”.

O boletim ainda diz que as próximas precipitações deverem manter a regularidade. Com base nisso, as projeções mostram que a altura do rio Paraguai pode subir mais de 50 centímetros nas próximas quatro semanas.

Para o dia 26 de novembro, a previsão é que o nível do rio alcance 11 centímetros. Já no dia 3 de dezembro, a estimativa é que chegue à marca de 25 cm. As projeções são de 42 centímetros no dia 10 e de 60 centímetros para 17 de dezembro na régua de Ladário. 

Em período pouco superior a trinta dias – desde 17 de outubro –, o rio Paraguai já subiu 64 centímetros em seu nível na régua de monitoramento da estação. Embora demore a responder de forma mais efetiva à chuva, uma vez que o rio é bastante mais volumoso e a bacia é maior, a região da estação de Ladário é considerada um termômetro para medir o grau da estiagem no bioma Pantanal, segundo publicou o site Diário Corumbaense. 

Recordes históricos

A vazante do rio Paraguai deste ano foi a segunda mais rigorosa da história. Em Ladário, o nível chegou aos -60 cm nos dias 16 e 17 de outubro. Somente uma vez, desde o início das medições, a altura esteve mais baixa que esta marca. Foi em setembro de 1964 quando a mínima histórica da estação foi de -61 cm.

Todas as outras quatro maiores secas da história do rio Paraguai, na estação de Ladário, foram superadas em outubro. Anteriormente, as grandes vazantes tinham ocorrido em setembro de 1971 (-57 cm); outubro de 1967 e setembro de 1969 (-53 cm) e em outubro de 1910 (-48 cm), segundo o CPRM.

Jornal Midiamax