Cotidiano

Após denúncia de falta de medicamentos, avião do governo de MS vai buscar 'kit intubação'

Profissionais do HRMS informaram que estoque de insumos havia acabado

Gabriel Maymone Publicado em 14/04/2021, às 11h26

Medicamentos são essenciais para intubação de pacientes com covid
Medicamentos são essenciais para intubação de pacientes com covid - Divulgação

Um dia após funcionários do HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) - referência no tratamento da covid pelo SUS - denunciarem a falta de medicamentos do kit intubação (essenciais no tratamento de pacientes graves com covid), o governo de Mato Grosso do Sul enviou avião para São Paulo buscar nova remessa.

Os cerca de 20 mil kits foram liberados pelo Ministério da Saúde. 

Em nota, a SES (Secretaria Estadual de Saúde) havia negado a informação, afirmando que havia remédios suficientes. Porém, durante live na manhã desta quarta-feira (14), o secretário de Saúde, Geraldo Resende, confirmou que o HRMS  estava em situação crítica.

Em Brasília

No final da manhã de terça-feira (13), o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, e o governador, Reinaldo Azambuja (PSDB),  estiveram no Ministério da Saúde, em reunião com o titular da pasta, Marcelo Queiroga.

Na oportunidade, além de pedir o reforço do kit intubação - 1,1 milhão de unidades de sedativos e neurobloqueadores, os representantes do Estado solicitaram 30% de doses extras de vacina para covid, além de 100 mil testes antígenos e 40 leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para municípios da fronteira.

Jornal Midiamax