Cotidiano

Após afogamento em lago de condomínio, Bombeiros dão dicas para evitar acidentes

Lugares com sinalização, certificação, não beber, cuidar das crianças, todas são dicas para evitar tragédias como as desse domingo

Lucas Mamédio e Nathália Rabelo Publicado em 15/11/2021, às 12h29

Major Fábio Pereira de Lima
Major Fábio Pereira de Lima - (Foto: Henrique Arakaki)

Muita gente ficou comovida e preocupada com o caso do afogamento de um jovem de 22 anos em um condomínio de luxo neste domingo (14) em Jaraguari. Lucas de Jesus Benites foi encontrado por equipes do Corpo de Bombeiros a uma profundidade de 3 metros no lago do Condomínio Nasa Park, a cerca de 30 quilômetros de Campo Grande. Ele participava de uma confraternização.

As informações são de que, a vítima estava no lago junto de uma mulher e mais duas crianças fazendo brincadeiras de mergulho e que o local onde estavam era raso. Mas, em um  dos mergulhos Lucas não voltou e a mulher achando que iria aparecer na outra margem do lago ficou esperando.

Conforme os Bombeiros, independentemente da idade, capacidade e local, cuidados devem ser tomados para que tragédias como essa não se repitam

De acordo com o major Fábio Pereira de Lima, responsável pelo setor de comunicação da instituição, os meses de novembro e dezembro são os mais acontecem afogamentos devido às férias e festas de fim de ano.

“O pessoal vai para água, pro calor, pós-pandemia, tem vários fatores. Quer se divertir, mas tem que ser com segurança", disse o major.

Sinalizado e certificado

Segundo o militar, quando um banhista quer nadar em algum lugar, é importante buscar locais com certificação dos bombeiros com dispositivos de segurança, principalmente clubes. "Quando o banhista procura rios e lagos que não tenham a fiscalização dos bombeiros, ele pode negligenciar sua segurança por possuírem riscos ocultos, como pedras  galhos e poços"

O ideal é que o local tenha sinalização. Assim, o corpo de bombeiros vai fazer vistoria para ver a segurança do lago durante a semana. A orientação do corpo de bombeiros quando o banhista vai frequentar rios é que ele conheça o local onde ele vai tomar banho.

A profundidade máxima da água de ser até o umbigo. Além disso, é recomendado que pessoas que tomam bebidas alcoólicas não frequentem esses espaços de banho, como rios, ranchos, etc.

Ajudar no afogamento

Uma orientação importante para quem porventura presencie um afogamento, é não tentar fazer um salvamento sozinho a nado. É recomendado jogar algum objeto, corda, galho, boia, alguma coisa a que ele possa se segurar.

Crianças

Em relação à criança, além de não tirar os olhos em nenhum um momento, é preciso, caso entre na água com ela, manter uma distância de segurança, que é a um braço. “Dessa forma, caso ela fique debaixo d’água, será por pouquíssimo tempo, pois o adulto estará muito próximo”.

Jornal Midiamax