Cotidiano

Alternativa de renda, conveniências delivery são aposta durante pandemia no MS

Com a pandemia, diversas conveniências e distribuídoras de bebidas delivery foram abertas em Mato Grosso do Sul.

Dândara Genelhú Publicado em 17/01/2021, às 10h11 - Atualizado às 11h13

Foto: Leonardo de França | Midiamax.
Foto: Leonardo de França | Midiamax. - Foto: Leonardo de França | Midiamax.

Desde o começo da pandemia, diversas pessoas foram afetadas pelo desemprego. Por outro lado, com a quarentena, houve aumento do consumo de álcool. Assim surgiram as apostas de sul-mato-grossenses que investiram em comércios de distribuição de bebidas por entrega.

De acordo com a Receita Federal, atualmente existem 5.586 empresas no Mato Grosso do Sul cadastradas como “Comércio varejista de bebidas” e “Comércio varejista de mercadorias em lojas de conveniência”. Apenas em Campo Grande, são 2.125 estabelecimentos deste ramo.

Uma delas é a Zero Dois Conveniência, que foi aberta em dezembro de 2020. A proprietária, Gabriela Bueno é professora e nunca trabalhou na área de distribuição de bebidas. “Eu era professora convocada, saí de licença maternidade e já não voltei por causa da pandemia”, lembra.

Assim, ela e o marido, que já tinha vontade de ter o próprio negócio, investiram na conveniência. “Pegamos nossas economias e abrimos aqui”.

Também como saída para renda na pandemia, surgiu a Top Cerv Coveniência. O atendente, Adalmir Medeiros, explica que o negócio foi aberto em junho de 2020 para suprir o desemprego. Então, devido a data de abertura, o empreendimento já foi aberto com decretos em vigor e estratégias de atendimento.

Delivery e toque de recolher

Alternativa de renda, conveniências delivery são aposta durante pandemia no MS
Foto: Reprodução.

As duas conveniências foram inauguradas durante a pandemia. Assim, ambas devem cumprir os decretos, entre eles o de toque de recolher. Gabriela explica que as conveniências são “muito afetadas, principalmente aos finais de semana”.

No mesmo sentido, Adalmir explica que o delivery é uma das saídas para o toque de recolher. Assim, aplicativos e as entregas particulares são a aposta das conveniências durante a pandemia. Tanto a Top Cerv, como a Zero Dois, recebem mais demanda por meio da entrega particular.

Ou seja, os clientes preferem o contato direto com os estabelecimentos. Os pedidos são recebidos pelo WhatsApp ou telefone fixo. Além disto, ambos investem nas redes sociais e fazem publicações no Instagram, para divulgar o comércio.

Como abrir uma conveniência?

Para os interessados em investir no ramo, o Jornal Midiamax entrou em contato com o Sebrae MS para compilar algumas dicas. Então, a primeira coisa indicada é buscar algumas informações antes de iniciar um empreendimento, como: espaço físico adequado, número de empregados, equipamentos principais, valor do investimento, quais custos o negócio tem e a legislação que deve atender.

Além disto, também pode e deve ser levantada a quantificação da clientela, estimativa de faturamento, investimento necessário e o custo operacional. Quando o negócio já está aberto, o Sebrae MS lembra que é importante conquistar novos clientes, que antes poderia ser feito de forma presencial e com mais contato físico. 

“O desafio após a pandemia cresceu sendo necessário fazer um exercício para ver novos tipos de clientes, novos segmentos, tendências e movimentos emergentes que empurram a maior parte do crescimento do food service”, explica. Então, o indicado é que os estabelecimentos busquem clientes por meio de sites e aplicativos de marktplace de delivery. Outras dicas são:

  • Sempre manter bom relacionamento com os distribuidores e fornecedores. Assim, eles podem analisar o histórico da empresa e disponibilizar alguns benefícios, como descontos, concessões de prazos e participação em campanhas.
  • Avaliar a possibilidade de contrato com exclusividade entre a empresa e algum fornecedor.
  • Layout do estoque e produtos no interior da loja. Estes elementos precisam ser pensados adequadamente para valorizar os produtos e atrair os clientes. Estabelecer preços diferenciados para produtos gelados é comum neste tipo de negócio.
  • Avalie os estoques, constantemente, para verificar mercadorias “encalhadas” e tomar atitudes eficientes em tempo hábil.
  • Investir nas entregas a domicílio.
  • Vender produtos complementares e de consumo por impulso como salgadinhos, doces, balas, sorvetes e pequenos petiscos.
  • Se possível, ofereça serviços de aluguel de mesas, cadeiras, freezer, choppeiras, caixa térmica para aumentar o faturamento.
  • Faça parceria com empresas de Food Service.

Jornal Midiamax