Cotidiano

Alta de até 600% no valor de criptomoedas atrai investidores em MS, mas como evitar cair em golpes?

Caso mais conhecido é o da Minerworld, que causou prejuízo de R$ 300 milhões

Gabriel Maymone Publicado em 22/11/2021, às 08h08

Investimento em criptoativos exige cuidado
Investimento em criptoativos exige cuidado - Divulgação

Nunca se ouviu falar tanto em criptomoedas como em 2021. Talvez a quarentena tenha despertado o lado investidor de muita gente, mas quem decidiu entrar nessa onda se deparou com milhares de opções — são mais de 9 mil e novas surgem a cada dia — que vão de Bitcoin a nomes que parecem mais ser brincadeiras de criança como a La Dodge de Papel ou a Angry Squid (Lula Raivosa). Nesse cenário, é importante saber como não cair em cilada e perder todo o investimento.

O caso mais recente foi o da SquidCoin, que aproveitou a febre da série "Round 6", exibida na Netflix, como título original de "Squid Games". Muitos investidores foram movidos pelo nome, na aposta de lucrar alto com o sucesso da trama televisiva. Entretanto, minutos após a criptomoeda angariar milhões de dólares, a cotação despencou e chegou a zero em algumas horas, fazendo muita gente perder muito dinheiro.

A plataforma CoinMarketCapreúne as principais informações sobre criptomoedas, inclusive as mais recentes criadas, as que apresentaram os maiores ganhos diários e as com maior volume de negociação. Os números são de chamar a atenção de qualquer investidor. A AngrySquid, por exemplo, teve alta de 661%. Ou seja, se você investiu R$ 1.000, já teria lucrado R$ 6.640.


Angry Squid Coin e La Dodge de Papel Coin são listadas como opções para investimento

Por outro lado, a Dogecoin, criada como um meme, já está na 10ª posição em valor de mercado, alcançando os 31 bilhões de dólares, valor superior ao de grandes empresas. No topo do ranking, estão Bitcoin e Ethereum.

Como nem tudo é um sonho, sempre é necessário prestar atenção, pois se trata de um universo novo e extremamente volátil. Além disso, a euforia em torno do ativo atraiu golpistas e esquemas de pirâmides como o Minerworld, que causou prejuízos de R$ 300 milhões a investidores.

Confira abaixo os golpes mais comuns envolvendo criptomoedas:

- Pirâmide Financeira: Em Mato Grosso do Sul, o caso mais conhecido é o do Minerworld, que prometia lucros exorbitantes aos investidores, mas depois respondeu processo por praticar pirâmide financeira, já que afirmavam que os lucros eram pagos provenientes de mineração de Bitcoin. Porém, a empresa não comprovou que o dinheiro vinha dessa prática, mas sim de pessoas que aderiam ao negócio.

- Promessa de ganhos rápidos: esse é o principal alerta. Trata-se de estratégia usada por golpistas para atrair vítimas e depois sumir com o dinheiro.

- Criptoativos inovadores: como citado na reportagem, surgem novas moedas digitais a cada dia e algumas chamam atenção pelo nome e causam euforia. Assim como na 'SquidCoin', após captar milhões em investimentos, os criminosos somem com o dinheiro.

Como evitar cair em golpes com criptomoedas?

CEO da Intergalaxy SA, empresa especializada em tecnologia e comunicação que desenvolve softwares, interfaces e aplicativos através da rede Blockchain, Francisley Valdevino da Silva lista algumas dicas de segurança:

1 – Pesquisar é muito importante: estude! Por ser novo, o mercado exige um investidor atento e muito informado. Devore notícias e informações reais sobre os criptoativos. Além das milhares de criptomoedas, estamos tratando de um segmento com muitas peculiaridades que você precisa conhecer. Esse é o primeiro passo para quem quer investir com tranquilidade e segurança.

2 – Cuidado com falsos sorteios: falsos brindes ou sorteios são formas de enganar e roubar criptoativos. Um dos golpes mais comuns é o anúncio de que o investidor ganhou um prêmio, mas precisa enviar uma fração de Bitcoin para desbloquear.

3 – Fique de olho nos e-mails Phishing: e-mails phishing são aqueles que apresentam alguns links e arquivos para baixar e, quando o usuário clica ou faz download, é infectado com algum vírus que danifica o aparelho, ou ainda é direcionado a um site fraudulento imitando o endereço original, para roubo de dados. Se não tiver certeza de que o e-mail é seguro e verídico, não clique em links.

4 – Seja cauteloso: não coloque todo o seu capital logo na primeira vez de investir, seja em qual área for. É importante ter paciência e testar o investimento antes de aportar um valor maior. Confira os resultados antes de tomar qualquer decisão de dar continuidade aos investimentos.

5 – Empresas certificadas: na hora de escolher uma exchange, corretora ou empresa pela qual irá comprar ou vender criptoativos, pesquise o histórico no mercado, veja as garantias dadas, busque conversar com alguém que já investe há algum tempo e leia relatos de clientes reais. Desconfie de negócios que acabaram de começar e precisam de investimento inicial alto. É importante conferir, também, se o endereço físico da empresa realmente existe e se ela é regulamentada por alguma instituição ou associação reconhecida.

6 – Especialista de confiança: tenha um profissional do mercado que você possa consultar em qualquer momento do dia. Aquela pessoa extremamente capacitada que vai acabar com suas dúvidas e preocupações. Alguém que você possa falar abertamente sobre investimentos e que, principalmente, esteja preparado para te dar o suporte necessário de maneira objetiva.

Jornal Midiamax