Cotidiano

Além de multiplicar crateras, chuva atrapalha obra em erosão de Nova Andradina

A chuva não tem dado trégua em Mato Grosso do Sul e preocupa moradores de Nova Andradina, a 297 km de Campo Grande. As crateras têm se multiplicado, assustando os moradores, e a chuva ainda atrapalha a obra realizada para combater a erosão.  A situação da cratera em Nova Andradina chamou a atenção das autoridades […]

Mylena Rocha Publicado em 28/01/2021, às 10h14 - Atualizado às 11h29

Cratera avança para ruas próximas. (Foto: Reprodução/Jornal da Nova)
Cratera avança para ruas próximas. (Foto: Reprodução/Jornal da Nova) - Cratera avança para ruas próximas. (Foto: Reprodução/Jornal da Nova)

A chuva não tem dado trégua em Mato Grosso do Sul e preocupa moradores de Nova Andradina, a 297 km de Campo Grande. As crateras têm se multiplicado, assustando os moradores, e a chuva ainda atrapalha a obra realizada para combater a erosão. 

A situação da cratera em Nova Andradina chamou a atenção das autoridades no fim do ano passado, quando a erosão estava prestes a engolir as casas dos moradores na rua Espírito Santo. Os moradores foram retirados do local e estão hospedados em casas alugadas pela Prefeitura. Porém, o cenário voltou a preocupar com o surgimento de novas crateras. 

“Essa é a situação da Rua irmã Maria Rita Loureiro, no Bairro Argemiro Ortega. Aquele buraco que se iniciou derrubando aquela casa na Rua Espírito Santo agora se multiplicou e mais dois, um no início da quadra e outro no final, sendo que a ameaça de engolir casas está cada vez mais próxima e a população pede socorro”, disse um morador.

A secretaria de Infraestrutura de Nova Andradina confirma que a situação preocupa. Com as chuvas torrenciais que atingem o município, as enxurradas desceram em direção ao bairro, causando mais danos do que os que já existiam. Além disso, a chuva ainda atrapalhou a obra realizada na cratera, já que impactou o reparo que estava sendo feito no local. 

O Governo do Estado fez o repasse de R$ 500 mil à Prefeitura de Nova Andradina, para a ser usado na recuperação da erosão. De acordo com a secretaria de Infraestrutura, é preciso esperar que a chuva dê uma pausa, para que as equipes voltem a atuar no local. 

Jornal Midiamax