Cotidiano

Abril termina com 1,2 mil mortos por covid em MS, quase 200 a mais que março

No início da pandemia, Estado levou quase seis meses para registrar a mesma quantidade de óbitos

Mylena Rocha Publicado em 30/04/2021, às 11h43

Estado superou número de mortes registradas em março, que era até então o mais letal da pandemia.
Estado superou número de mortes registradas em março, que era até então o mais letal da pandemia. - Marcos Morandi/Midiamax

O mês de abril termina nesta sexta-feira (30) com 1.276 mortes por coronavírus em Mato Grosso do Sul. O número supera em quase 200 o número de mortos registrados no mês passado, se tornando o mais fatal de toda a pandemia no Estado. No início da pandemia, o Estado levou quase seis meses para alcançar o mesmo número.

O titular da SES (Secretaria de Estado de Saúde) Geraldo Resende afirma que o dado mostra a gravidade da doença, principalmente nos últimos dois meses. “É só comparar com dezembro, foram 588 óbitos. No mês de abril tivemos duas vezes mais óbitos que dezembro”, afirma. 

O secretário chamou a atenção para o fato de que a doença tem sido mais letal e tem atingido mais pacientes jovens, principalmente desde o início do ano. “Saímos de uma taxa de letalidade de 1,8% para 2,3%. Quem está morrendo são os mais jovens, de 20 a 59 anos”, frisa. 

Só para ter ideia da gravidade e da rapidez com que o coronavírus tem feito vítimas em Mato Grosso do Sul, no início da pandemia o Estado precisou de quase seis meses para registrar a mesma quantidade de óbitos de abril. No ano passado, o Estado só chegou a 1,2 mil óbitos no fim de setembro. 

Diante da taxa alta de mortes, o secretário Geraldo Resende citou que o número de infectados foi menor em comparação com março. O dado mostra por que a taxa de letalidade aumentou tanto: mesmo com menos casos, a quantidade de mortos foi maior. Uma das causas é a nova variante do coronavírus, que circula em Mato Grosso do Sul.

“Tivemos um número de casos menor em abril, em março tivemos 34.070 casos, em abril foram 32.587. Em relação à dezembro, também tivemos menos casos em abril”.

Jornal Midiamax