Cotidiano

Abandonados na pandemia, artistas de MS protestam nas redes sociais para receber verba emergencial

Trabalhadores da categoria de ventos pedem a movimentação do auxílio destinado pelo Governo Federal

Karina Campos Publicado em 09/04/2021, às 08h51 - Atualizado às 08h56

Os artistas têm até 25 de abril para encaminhar propostas da execução de serviços online.
Os artistas têm até 25 de abril para encaminhar propostas da execução de serviços online. - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Artistas e trabalhadores da cultura de Mato Grosso do Sul iniciaram nesta semana manifestação pelas redes sociais pedindo a movimentação da verba destinada, pelo Governo do Estado, pela Lei Aldir Blanc. Após diálogos, a Fundação da Cultura publicou, nesta sexta-feira (9), uma portaria para iniciar os pagamentos.

Membro do Graxa, grupo apelidado de técnicos de eventos e espetáculos da cultura do Estado, Richard Thiago Carvalho dos Santos, explica que a categoria está sem trabalhar presencialmente desde o início das suspensões que visam a redução de contágio da Covid-19, com isso, famílias tiveram rendas cortadas.

“Estamos há um ano e um mês com nosso setor parado devido a pandemia. Ano passado com o Governo Federal que destinou mais de 3 bilhões para os estados e municípios no país inteiro para fomentar a área da cultura. Nosso Estado recebeu mais ou menos 20 milhões através de editais e auxílios. Porém boa parte não consegui ser utilizada, pois devido a vários critérios exigidos por leis muitos agentes culturais não conseguiram ser contemplados com essa lei”, disse.

A categoria ressalta que a União prorrogou o prazo para que trabalhadores da área atualizassem os dados, para que fossem beneficiados na segunda fase. A reclamação é que não houve movimentação da fundação desde o fim do ano passado.

“Desde então a fundação, tem se reunido com conselho, assessoria jurídica para poder encaminhar essa fase. Porém, nós da área técnica do Estado estamos passando por necessidades, estamos cobrando é que fosse rápido esse processo”, explica.

Através do Diário Oficial do Estado, foi dado aval para inscrição para artesanato, design e moda, música, teatro, dança, literatura, patrimônio, circo, audiovisual, artes visuais, cultura de rua e produção cultural. Os artistas têm até 25 de abril para encaminhar propostas da execução de serviços online.

Na quarta-feira (7), a plataforma “Mapa Cultural de MS” começpu a funcionar e vai auxiliar no cadastramento de artistas e distribuição dos recursos previstos na Lei Aldir Blanc de Emergência Cultural. De acordo com a diretora-presidente da FCMS (Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul), Mara Caseiro, neste primeiro momento o Mapa funcionará como plataforma de cadastro.

Com aporte de R$ 20 milhões, a previsão é de que a lei beneficie seis mil pessoas com renda básica emergencial (inciso I), além de fomento à cultura e auxílio para espaços culturais de R$ 3 a 10 mil por espaço (inciso III).

No site da fundação também é possível encontrar uma cartilha com informações detalhadas sobre a Lei, além do link para o cadastro de trabalhadores.

Jornal Midiamax