Cotidiano

VÍDEO: Com surto de escorpiões, encostar em muros é perigoso e nem Sesau escapa

O período chuvoso e as altas temperaturas da estação são o período mais propício para a proliferação de escorpiões. Assim, devido as chuvas frequentes e às temperaturas que superam facilmente os 30°C, Campo Grande é um dos locais onde o surgimento dos aracnídeos virou uma espécie de ‘surto’. Alguns dos relatos trazidos pelo Jornal Midiamax, […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 05/02/2020, às 09h18 - Atualizado em 06/02/2020, às 08h33

Pequenos e traiçoeiros, escorpiões podem passar despercebidos em muros | Foto: Fala Povo | WhatsApp
Pequenos e traiçoeiros, escorpiões podem passar despercebidos em muros | Foto: Fala Povo | WhatsApp - Pequenos e traiçoeiros, escorpiões podem passar despercebidos em muros | Foto: Fala Povo | WhatsApp

O período chuvoso e as altas temperaturas da estação são o período mais propício para a proliferação de escorpiões. Assim, devido as chuvas frequentes e às temperaturas que superam facilmente os 30°C, Campo Grande é um dos locais onde o surgimento dos aracnídeos virou uma espécie de ‘surto’.

Alguns dos relatos trazidos pelo Jornal Midiamax, por exemplo, revelam a aparição de 40 escorpiões em menos de um mês em uma residência. A sensação é de que não há lugar seguro na cidade, principalmente se os moradores não fizerem a prevenção – manter casas e terrenos limpos.

VÍDEO: Com surto de escorpiões, encostar em muros é perigoso e nem Sesau escapa
Escorpião foi avistado bem no muro da secretaria, que alerta para riscos e prevenção dos aracnídeos venenosos | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

Prova de que não há local seguro nem mesmo para se “encostar” é que na manhã desta quarta-feira (5) um escorpião foi flagrado justamente no muro externo da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a pasta municipal responsável, entre outras coisas, pela estratégia de combate a animais peçonhentos.

À reportagem, a Sesau confirmou que é possível haver aparição de escorpiões na região devido a proximidade de uma subestação de tratamento de esgoto, que fica na mesma quadra. Porém, em nota, destacou que periodicamente a localidade receber serviço de desinsetização.

Além disso, a pasta também pontuou que é importante, principalmente neste período do ano, observar o ambiente, como muros e calçadas, antes de aproximar o corpo, já que os escorpiões podem ter pequenas dimensões, mas picadas dolorosas.

“Surto” de escorpiões

O número de ocorrências envolvendo escorpiões ´no mês de janeiro em Campo Grande já superou o registrado no mesmo período em 2019, segundo levantamento do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). Só para ter uma ideia, até o dia 16 de janeiro, foram registrados 19 acidentes com o aracnídeo. um total de 36 agentes também foram deslocados para checar localidades com infestações. Os dados consolidados devem ser divulgados até o fim de fevereiro.

“Nossos registros são feitos com base nas comunicações que recebemos das unidades de saúde, todas devem nos notificar para que possamos acompanhar a infestação na residência”, explica a técnica do Serviço de Combate a Roedores, Animais Peçonhentos e Sinantrópicos (Scraps), Christianne Brandão.

VÍDEO: Com surto de escorpiões, encostar em muros é perigoso e nem Sesau escapa
Quem tem mania de se encostar em muros e sentar em calçadas precisa redobrar atenção em período de ‘surto’ de escorpiões | Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

Prevenção

Para evitar que escorpiões apareçam em casa, é necessário que sejam tomadas algumas prevenções, como a colocação de barreiras físicas, fechar ralos, colocar telas em caixas de gordura e de escoamento de água, além de realizar, cotidianamente a limpeza dos terrenos. Além disso, a Sesau destaca que uma casa livre de escorpiões é basicamente uma casa limpa. Ou seja: os moradores têm responsabilidade no combate ao aracnídeo.

Para isso, é necessário manter a dedetização domiciliar em dia, lixo fechado, terrenos limpos e livres de resíduos orgânicos. Isso porque os escorpiões alimentam-se de insetos, a exemplo das baratas, que são atraídas pelo lixo domiciliar e também costumam “morar” em caixas de gordura e de esgoto. Já em relação aos terrenos, escorpiões de escondem em restos de folhas, em sobras de material de construção, telhas, madeiras e demais materiais afins.

Se, tomadas essas precauções, ainda houver aparecimento desses artrópodes, ou em casos de acidentes, o morador deve solicitar uma visita de agentes do CCZ, pelos telefones (67) 3313-5000 ou (67) 2020-1796.

Fala Povo – o WhatsApp do Jornal Midiamax!

As imagens foram enviadas ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei

Jornal Midiamax