Cotidiano

‘Tem que ter cautela’, diz Marquinhos sobre flexibilização em Campo Grande

Mesmo com a taxa de contágio do coronavírus em Mato Grosso do Sul chegando a níveis considerados ‘aceitáveis’, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que ainda é preciso ter cautela nesse momento, em relação a possíveis flexibilizações de horários e permissão de funcionamento de atividades em Campo Grande.  “Ainda é um vírus que não dá […]

Fábio Oruê Publicado em 14/09/2020, às 14h41 - Atualizado em 15/09/2020, às 07h44

Prefeito Marquinhos Trad (PSD). (Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).
Prefeito Marquinhos Trad (PSD). (Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo). - Prefeito Marquinhos Trad (PSD). (Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).

Mesmo com a taxa de contágio do coronavírus em Mato Grosso do Sul chegando a níveis considerados ‘aceitáveis’, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) disse que ainda é preciso ter cautela nesse momento, em relação a possíveis flexibilizações de horários e permissão de funcionamento de atividades em Campo Grande. 

“Ainda é um vírus que não dá para brincar”, alertou ele ao Jornal Midiamax. A taxa de contágio está em 1,01% no Estado e a meta da SES (Secretaria Estadual de Saúde) é alcançar uma taxa menor que 1 – que significa controle da doença.

Trad disse que toda semana se reúne com integrantes do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), Defensoria Pública e outros órgãos.

“Todos os dados são levados em conta”, disse ele sobre mais flexibilizações nas próximas semanas.

Apesar disso, Marquinhos comemorou que a taxa de contágio esteja diminuindo no Estado. “Nós estamos colhendo os frutos de ações que tomamos anteriormente”, opinou. 

As cidades com mais casos em MS são: Campo Grande (26.277 casos, com 459 óbitos), Dourados (6.403 casos, com 90 óbitos), Corumbá (3.346 casos, 113 óbitos), Sidrolândia (1.919 casos, 23 óbitos) e Aquidauana (1.770 casos, 49 óbitos).

Jornal Midiamax