Cotidiano

Taxa de isolamento em MS está em 30%, menos da metade do recomendável, alerta Governo

Em mais um alerta divulgado nesta sexta-feira (12) pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, ele fala sobre o baixo isolamento da população de Mato Grosso do Sul e mostra que a taxa está pouco mais de 30%, quando o recomendável para evitar a contaminação por coronavírus precisa ser acima de 60%. Resende afirmou que […]

Renata Volpe Publicado em 12/06/2020, às 11h52 - Atualizado em 13/06/2020, às 10h56

None

Em mais um alerta divulgado nesta sexta-feira (12) pelo secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, ele fala sobre o baixo isolamento da população de Mato Grosso do Sul e mostra que a taxa está pouco mais de 30%, quando o recomendável para evitar a contaminação por coronavírus precisa ser acima de 60%.

Resende afirmou que o Estado pode montar o maior número de leitos de UTI’s, mas se a taxa de adesão do isolamento for baixa, de nada vão adiantar as vagas nos hospitais. “Se continuar assim, sem as pessoas isoladas, vamos ter que chorar muito nos próximo dias e semanas. Este é um alerta que queremos dar, vai depender da contribuição de cada um de vocês”.

Conforme o secretário, com o feriado prolongado de Corpus Christi, o governo espera por uma taxa de isolamento maior. “O isolamento precisa crescer, porque isso é horroroso, eu sempre falo que é pecaminoso, é um pecado a pouca adesão e pouca colaboração da população”.

As pessoas só vão acreditar na doença, quando chegar nas suas famílias, disse Resende. “Tivemos três mortes de ontem para hoje e queremos evitar que isso chegue na sua casa, na sua mãe, pai, irmão, filhos, precisamos da sua participação e não basta apenas a vontade dos agentes de saúde”.

Portanto, Resende afirmou querer acreditar que o Estado seja o com menos números de óbitos no Brasil. “A nossa preocupação é com a macrorregião de Dourados, devido aos números expressivos da doença. Temos 3 mil casos hoje, marca que não queria ter atingido e isso pode dobrar daqui uma semana, dez dias, vai depender da contribuição de cada um”.

Jornal Midiamax