Cotidiano

Nova tabela dos combustíveis não deve impactar no preço ao consumidor, diz Sinpetro

Com a nova tabela de preço médio de combustíveis definida pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) nesta terça-feira (10), o Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul) garante que o valor final repassado ao consumidor terá pouca alteração. Conforme a determinação divulgada pelo DOU […]

Karina Campos Publicado em 10/11/2020, às 15h15 - Atualizado às 15h32

(Foto: Leonardo de França, Midiamax)
(Foto: Leonardo de França, Midiamax) - (Foto: Leonardo de França, Midiamax)

Com a nova tabela de preço médio de combustíveis definida pelo Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) nesta terça-feira (10), o Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul) garante que o valor final repassado ao consumidor terá pouca alteração.

Conforme a determinação divulgada pelo DOU (Diário Oficial da União), o valor de referência da gasolina comum no Estado passa a ser de R$ 4,6767; gasolina premium R$ 6,7403; litro do Diesel S10 R$ 3,6699; e óleo Diesel por R$ 3,5268.

Segundo diretor do Sinpetro, Edson Lazaroto, o ato da Cotepe (Comissão Técnica Permanente do Imposto sobre Operações Relativas), acontece duas vezes mensalmente, sendo dia 1 e 16 de cada mês, logo após as pesquisas do Governo Estadual na aplicação dos valores de Campo Grande e do Interior, e, seguida é definido o PMPF (Preço Médio Ponderado Final).

“Nessa quinzena que inicia dia 16 de novembro, a pauta terá pouquíssimas alterações, praticamente em nada afetará no preço final ao consumidor, com exceção do etanol que terá um acréscimo em torno de R$ 0,04”, disse.

O novo índice deve ser aplicado nas bombas de combustível a partir da próxima semana em todas as unidades da federação, mais o Distrito Federal. O Estado tem a 5ª gasolina mais cara do país.

O PMPF é um parâmetro de cobrança do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), controlado pela Petrobrás na venda de combustíveis às revendedoras, incluindo gás natural veicular, querosene de aviação, gás natural industrial e gás liquefeito de petróleo.

Jornal Midiamax