Cotidiano

Sem seguro, donos de mercado no Universitário calculam prejuízo de R$ 80 mil com incêndio

Mais um supermercado foi atingido por um incêndio em Campo Grande na noite de quarta-feira (16). Em menor proporção, o fogo atingiu o estoque de um supermercado localizado no bairro Universitário e deixou um prejuízo estimado em R$ 80 mil. O supermercado, localizado na rua Libero Badaró começou a pegar fogo por volta das 23 […]

Mylena Rocha Publicado em 17/09/2020, às 09h44 - Atualizado às 14h23

None
Fogo começou às 23 horas. (Foto: Marcos Ermínio)

Mais um supermercado foi atingido por um incêndio em Campo Grande na noite de quarta-feira (16). Em menor proporção, o fogo atingiu o estoque de um supermercado localizado no bairro Universitário e deixou um prejuízo estimado em R$ 80 mil.

O supermercado, localizado na rua Libero Badaró começou a pegar fogo por volta das 23 horas. A proprietária Regina Oliveira, de 45 anos, conta que foi a cunhada que percebeu o princípio de incêndio, já que a família mora no andar de cima do estabelecimento. 

“Estávamos deitados quando minha cunhada viu o fogo e nos avisou. Pegamos o extintor e chamados os Bombeiros. Ainda não sabemos a causa, mas acho que pode ter sido uma geladeira que guardo as verduras no estoque, pode ter dado um curto circuito, é o eletrodoméstico mais antigo que tenho”, explica Regina.

O fogo não chegou a se alastrar para as prateleiras do supermercado, mas a dona conta que perdeu máquina de lavar roupas, lava-louças e a secadora. Produtos de limpeza, sacos de arroz, feijão, biscoitos também foram consumidos pelo fogo. “Perdi tudo que estava no estoque, é um prejuízo de R$ 80 mil. Não temos seguro, agora é lutar para reconstruir”, explica.

A dona do supermercado conta que só não perdeu tudo que tinha no estabelecimento porque os Bombeiros chegaram rápido. Quatro viaturas chegaram ao local, para ajudar no combate às chamas. 

Na manhã desta quinta (17), o supermercado está fechado e ela conta com a ajuda de amigos e vizinhos para fazer o rescaldo do que ainda pode ser utilizado. “Agradeço aos amigos, família e vizinhos que estão oferecendo ajuda. Consegui salvar algumas coisas, não para vender, mas ainda dá para usar em casa”, conta.

Jornal Midiamax