Cotidiano

Não há vagas: Santa Casa tenta encaminhar 6 com coronavírus para UTI no HRMS, que também está lotado

Diante do aumento expressivo de casos de coronavírus nas últimas semanas, começam a faltar leitos para pacientes em Campo Grande. Um dos principais hospitais do Estado, a Santa Casa não tem mais leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e também não consegue transferir os pacientes para o hospital de referência. O Hospital Regional não […]

Mylena Rocha Publicado em 11/12/2020, às 12h09 - Atualizado às 17h23

Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax
Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax - Foto: Henrique Arakaki | Jornal Midiamax

Diante do aumento expressivo de casos de coronavírus nas últimas semanas, começam a faltar leitos para pacientes em Campo Grande. Um dos principais hospitais do Estado, a Santa Casa não tem mais leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e também não consegue transferir os pacientes para o hospital de referência. O Hospital Regional não estaria conseguindo absorver a demanda. 

Segundo informações apuradas pela reportagem, a Santa Casa dispõe de 10 leitos de UTI para pacientes com Covid-19, mas já são 16 pacientes em estado grave da doença. Por isso, a Santa Casa tenta transferir seis pacientes para o Hospital Regional, sem sucesso. 

A Santa Casa informou que teve um aumento no recebimento de casos suspeitos e confirmados de coronavírus na tarde de quinta-feira (10). Segundo a instituição, todos esses seis pacientes excedidos tem a indicação de internação em UTI, mas a capacidade da Santa Casa é de 10 leitos.

“Ressaltamos que o fluxo normal para esses casos é encaminhar os pacientes ao hospital de referência, mas o Hospital Regional alega que está sem condições de receber neste momento. Essa situação é complicada, pois estamos com pacientes em leitos isolados em área não exclusivas. A Santa Casa de Campo Grande está fazendo o possível e buscando meios para resolver a situação o quanto antes, para que não haja a possibilidade de contaminação de outros pacientes”, disse em nota.

A Santa Casa reitera que o hospital está em negociação com o Poder Público para ativação de mais leitos de retaguarda (para outras doenças) e o atendimento aos pacientes com Covid-19. “Neste momento, a situação é de grande preocupação”.

Quadro dramático

Durante live da SES (Secretaria de Estado de Saúde) desta sexta-feira (11), o secretário Geraldo Resende comentou que somente o HRMS já tem 12 pacientes na ala vermelha, à espera de leitos clínicos e de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). 

“Estamos vivenciando um quadro dramático, hospitais estão com capacidade máxima de atendimento em leitos clínicos e de UTI. Temos média diária de casos nos últimos 7 dias, acima de 1.100 casos por dia. A cada 100 casos, podemos ter 5 que precisam de leitos. Se levar média de 1.128 casos por dia, vamos precisar de mais de 55 leitos por dia a mais para atender o quantitativo de pacientes que necessitam de leitos”, disse.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a SES e aguarda posicionamento.

Mais de 600 internados em MS

MS tem 638 pacientes internados. Destes 383 estão em leitos clínicos (215 públicos e 168 privados) e 255 em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), dos quais 168 estão em leitos públicos e 87 em privados.

A taxa de ocupação de leitos de UTI públicos global nas 4 macrorregiões de MS é de: 104% em Campo Grande, 81% em Dourados, 63% em Três Lagoas e 82% em Corumbá. No caso da Capital, que ultrapassa os 100% de lotação, os pacientes estão em leitos ainda não habilitados pelo Ministério da Saúde.

Jornal Midiamax