Cotidiano

Sem leitos de UTI disponíveis, Campo Grande tem maior taxa de ocupação entre capitais do país

Campo Grande superou nesta sexta-feira (11) a ocupação máxima de leitos UTI, chegando a 100,5%. Os dados constam da atualização mais recente presente no Painel Mais Saúde, disponibilizado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Assim, a capital de Mato Grosso do Sul tem o pior cenário entre as capitais do país. Conforme reportagem da […]

Gabriel Maymone Publicado em 11/12/2020, às 08h38 - Atualizado às 12h17

(Foto: Breno Esaki/ Agência Brasil)
(Foto: Breno Esaki/ Agência Brasil) - (Foto: Breno Esaki/ Agência Brasil)

Campo Grande superou nesta sexta-feira (11) a ocupação máxima de leitos UTI, chegando a 100,5%. Os dados constam da atualização mais recente presente no Painel Mais Saúde, disponibilizado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde). Assim, a capital de Mato Grosso do Sul tem o pior cenário entre as capitais do país.

Conforme reportagem da Folha de S. Paulo, Florianópolis (SC) estava com 98,51% dos leitos UTI ocupados no começo da semana. No Rio de Janeiro, o percentual chegou a 92%. Natal, no Rio Grande do Norte, por exemplo, estava com taxa em 92,2%. Também estão em zona de risco Recife, Porto Alegre, Curitiba e Vitória.

Cenário em Campo Grande

Conforme os dados, são 335 leitos ofertados. Porém, as informações repassadas por oito hospitais constam que há 337 pacientes internados em UTIs. As unidades de internação contemplam tanto leitos para Covid quanto para outros casos.

A situação é mais delicada no HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), que vê a taxa de ocupação chegar a 111%. Boletim com dados dessa quinta-feira (10) mostra que eram 131 pacientes internados e apenas 118 leitos críticos disponíveis.

A Cassems informou que possui 50 leitos em UTI, sendo que dados repassados na manhã desta sexta-feira (11) mostram que a unidade está com 47 pacientes internados. Desse total, 40 leitos são exclusivos para Covid.

Já boletim divulgado às 16h30 da quinta-feira (10), pela Unimed, informa que o hospital possui 40 leitos UTI. Desses, 30 são exclusivos para pacientes Covid-19, que estão todos ocupados. Dos 10 leitos UTI restantes, 6 estavam com pacientes, conforme o informe diário.

De acordo com o painel, o Hospital Adventista do Pênfigo está com 39 pacientes ocupando os 39 leitos UTI disponíveis na unidade. A mesma situação é verificada na Clínica Campo Grande, que está com os 30 leitos UTI ocupados.

Na Maternidade Cândido Mariano, apesar de não receber pacientes com coronavírus, está com sobrecarga no sistema e tem 20 leitos UTI, sendo que todos estão com pacientes.

Também sem atender pacientes com Covid, o Hospital do Câncer Alfredo Abraão informou que tem 16 pacientes ocupando 20 leitos em UTI. No Humap (Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian), que também não está recebendo casos de coronavírus, são 18 vagas UTI com 17 internados.

*Atualizada às 09h37

Jornal Midiamax