Cotidiano

Segunda maior cidade de MS, Dourados completa 85 anos neste domingo

Dourados, município no sul de Mato Grosso do Sul, completa 85 anos de emancipação neste domingo (20). O aniversário não terá uma comemoração à altura, já que a segunda maior cidade do Estado é uma das mais atingidas pela pandemia de Covid-19. A crise que Dourados só se agravou com o novo coronavírus se alastrando. […]

Adriel Mattos Publicado em 20/12/2020, às 08h58 - Atualizado às 15h32

Dourados (Foto: Franz Mendes)
Dourados (Foto: Franz Mendes) - Dourados (Foto: Franz Mendes)

Dourados, município no sul de Mato Grosso do Sul, completa 85 anos de emancipação neste domingo (20). O aniversário não terá uma comemoração à altura, já que a segunda maior cidade do Estado é uma das mais atingidas pela pandemia de Covid-19.

A crise que Dourados só se agravou com o novo coronavírus se alastrando. Até a prefeita Délia Razuk (sem partido) contraiu o SARS-CoV-2. A situação é tão crítica que nem sequer foi montada decoração de Natal.

Apesar disso, o município tem resistido e a economia dá sinais de que 2021 pode ser um bom ano. Antes de 2020 terminar, já foram abertas mais empresas do que em 2019. 

Dados da Jucems (Junta Comercial de Mato Grosso do Sul) levantados pelo site Dourados News mostra que 836 novos negócios surgiram em 2020, 61 a mais que no ano anterior, quando 776 empresas foram criadas.

Mesmo a crise não ampliou o desemprego, com o saldo do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério da Economia, tendo registrado saldo negativo apenas em março e abril, no início da pandemia.

O agronegócio também mantém o município nos trilhos. Nova força da agricultura, a safra de soja 2020/2021 teve uma área plantada de 225 mil hectares, 10 mil a mais que o período anterior. Os dados são da Agência Safras, do Canal Rural.

Esses 85 anos de emancipação mostram que Dourados sempre demonstrou ser pujante, mas sua história remonta a mais de um século. Antes da colonização pelo homem branco, indígenas Kaiwá e Terena ocupavam o território onde hoje está a cidade.

Combatentes da Guerra do Paraguai foram se estabelecendo na região sul do Mato Grosso uno até a fundação da Colônia Militar de Dourados, liderada pelo tenente Antônio João.

Mais tarde, famílias vindas da Região Sul chegaram à região, para trabalhar nos ervais da Companhia Matte Laranjeira. Mas foi apenas com o paranaense Marcelino Pires que a cidade começou a tomar forma. Foi aberta a avenida que leva seu nome e alguns estabelecimentos comerciais. Pires em seguida buscou junto ao governo de Mato Grosso estabelecer a “independência” do povoado.

As terras ainda pertenciam à Matte Laranjeira, e a administração estadual aceita o pedido e doa 3,6 mil hectares para fundar o distrito. Em 1914, Dourados se torna oficialmente distrito de Ponta Porã.

Seu crescimento seguiu surpreendendo, até finalmente ser emancipada em 1935. A antiga colônia agrícola foi finalmente integrada décadas mais tarde, sendo que parte dela deu origem a duas novas cidades: Fátima do Sul e Glória de Dourados.

A cidade seguiu crescendo, o que forçou a prefeitura a urbanizar e ocupa diversos vazios ao longo dos anos. Dourados consolidou-se como polo regional na década de 1970, quando começa a construção dos primeiros edifícios.

A chegada da década de 2000 só confirmou a força de Dourados. Em 2005, é fundada a UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). O município já sediava a UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul).

Uma outra versão

Para um grupo de pesquisadores, Dourados deveria celebrar seu aniversário em 15 de junho. Dessa forma, a cidade teria 106 anos. É que esse grupo considera que a fundação ocorre mesmo com a fundação do distrito.

A Câmara Municipal chegou a receber um relatório que mudaria quase que por completo a história do município, excluindo até mesmo figuras históricas como o tenente Antônio João e Marcelino Pires. O Legislativo rejeitou as mudanças.

Jornal Midiamax