Cotidiano

Psicóloga de MS usa recurso do Facebook e atende de graça durante pandemia de covid-19

Tem gente que perdeu familiares vítimas da Covid-19, que perdeu emprego ou faliu empresa, que está em pânico e até mesmo que está passando por conflito familiar. Todas essas pessoas procuram ajuda diariamente com a psicóloga campo-grandense Jandira Ferreira Batistoti, que dedica algumas horas do seu dia para realizar atendimentos gratuitos via WhatsApp. Profissional e […]

Gabriel Maymone Publicado em 01/06/2020, às 13h24 - Atualizado às 18h41

Jandira ofereceu ajuda pela ferramenta do Facebook. (Imagem: Reprodução/Facebook)
Jandira ofereceu ajuda pela ferramenta do Facebook. (Imagem: Reprodução/Facebook) - Jandira ofereceu ajuda pela ferramenta do Facebook. (Imagem: Reprodução/Facebook)

Tem gente que perdeu familiares vítimas da Covid-19, que perdeu emprego ou faliu empresa, que está em pânico e até mesmo que está passando por conflito familiar. Todas essas pessoas procuram ajuda diariamente com a psicóloga campo-grandense Jandira Ferreira Batistoti, que dedica algumas horas do seu dia para realizar atendimentos gratuitos via WhatsApp. Profissional e paciente são conectados graças a um recurso especial do Facebook para a Covid-19.

A profissional, que recebe mensagens de aproximadamente 40 pessoas por dia, é o conforto para ajudá-las a lidarem com problemas acarretados pela pandemia de coronavírus a qual estamos passando.

A maioria recorre à psicóloga em busca de palavras de conforto. “O que mais tenho falado é que se informem sobre o assunto, que tomem todos os cuidados e que busquem cuidar da saúde, tendo uma boa alimentação para não ficar com a imunidade baixa”, diz Jandira, complementando que nesse momento não adianta ficar em pânico, é só seguir todas as recomendações de prevenção.

A psicóloga informou que, para dar continuidade às sessões, não está iniciando novos atendimentos. “Tem muita gente e eu preciso dar continuidade para não deixar a pessoa na mão”, afirma.

Os atendimentos, que começaram há cerca de um mês, são feitos via WhatsApp, de segunda à sexta-feira à noite, e já deram bons resultados. “Uma paciente idosa estava com tanto medo de sair de casa para não se contaminar que nem a aposentadoria ela não foi sacar. Eu expliquei para ela que era só tomar todos os devidos cuidados e conversar com o gerente dela que não teria problema”, relatou.

Outra situação que está sendo evidenciada pela quarentena é o conflito familiar. “Tem filho que pede para que os pais se cuidem e eles não obedecem e vice-versa. Tem casal brigando muito e tem filho que leva colegas para usar drogas em casa”.

Jandira diz que, ao abrir o Facebook, se deparou com um campo em que profissionais poderiam se cadastrar para oferecer seus serviços de forma gratuita para ajudar quem estivesse precisando e decidiu ajudar. “Trabalho durante o dia, posso ajudar um pouco à noite, oferecendo orientações como uma maneira de colaborar com essas pessoas”.

O Conselho Federal de Psicologia prevê este tipo de atendimento desde 2018 e neste momento, diante da recomendação de distanciamento social, a prática tem ganhado campo e está sendo utilizada por muitos profissionais.

Jornal Midiamax