Cotidiano

Projeto lança série de podcasts para tirar dúvidas sobre incêndios no Pantanal

Criado através de uma parceria da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) com o (Prevfogo) Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, o Projeto Noleedi prevê efeito do fogo na biota do Pantanal sul-mato-grossense e sua interação com os diferentes regimes de inundação.  A novidade é que eles lançaram uma série […]

Carolina Rocha Publicado em 17/11/2020, às 14h41

Foto: Prevfogo/Ibama.
Foto: Prevfogo/Ibama. - Foto: Prevfogo/Ibama.

Criado através de uma parceria da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) com o (Prevfogo) Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, o Projeto Noleedi prevê efeito do fogo na biota do Pantanal sul-mato-grossense e sua interação com os diferentes regimes de inundação.  A novidade é que eles lançaram uma série com quatro podcasts sobre as queimadas, este ano, no Pantanal.

A série foi lançada pois os incêndios florestais apresentam os maiores registros de focos de calor desde 1998, quando se iniciou o monitoramento pelo (Inpe) Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

O objetivo é esclarecer a população algumas informações técnicas, precisas, mas de uma forma clara e acessível a todos. O projeto traz respostas à perguntas frequentes relacionadas ao tema.

Antes deste ano, o maior registro foi em 2005, onde registrou 12.536 focos de calor para aquele ano. Em contraponto, 2020 registrou, até 5 de novembro, 21.375, quase o dobro do antigo recorde. 28% do pantanal foi queimado, equivale a 27 cidades de São Paulo.

O primeiro episódio da série, teve entrevista com Danilo Bandini Ribeiro, doutor em ecologia e professor na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e coordenador do Projeto Noleedi. O assunto foi sobre danos dos incêndios, causas e se o fogo no bioma é algo normal.

No segundo, a entrevista é com Bruno Henrique dos Santos Ferreira, licenciado em Ciências Biológicas pela UFMS e Vivian Ayumi Fujizawa Nacagava, formada em ciências Biológicas pela UFMS, mestre pelo Programa de Pós-graduação em Biologia Animal e aluna de doutorado no Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação da UFMS.

O terceiro é com entrevistado é Geraldo Alves Damasceno Junior, biólogo pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, mestre e doutor em Biologia Vegetal pela Universidade Estadual de Campinas e pós doutor pela Universidade de Hamburgo, na Alemanha. Atualmente é professor da UFMS. Ele tem experiência na área de botânica, atuando principalmente nos seguintes temas: áreas inundáveis, Pantanal, dispersão, florestas estacionais, florestas ripárias, campos inundáveis e suas relações com a inundação, solos e o fogo. Ele também é pesquisador do Projeto Noleedi.

E o quarto e último é com é o Alexandre de Matos Martins Pereira, ecólogo formado pela Universidade Estadual Paulista, campus de Rio Claro, e analista ambiental do Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Ibama em Mato Grosso do Sul. O Alexandre é especialista em incêndios florestais e manejo do fogo, possui experiência em investigação, manejo integrado do fogo e é instrutor nos cursos de formação de brigadas de prevenção e combate aos incêndios florestais. Trabalha nesta área há 17 anos no Ibama e integra o Projeto Noleedi.

Você pode conferir todos os Podcasts do Projeto Noleedi através do site do próprio projeto: https://noleedi.blogspot.com/

Jornal Midiamax