Cotidiano

Profissionais da saúde em Dourados lamentam morte de médico por coronavirus

Por meio de postagens nas redes sociais, profissionais da saúde, entre eles, médicos, enfermeiros e técnicos que trabalham em hospitais e postos de Dourados lamentam a morte do médico Miguel Yoneda por Covid-19. Esse óbito foi confirmado pelo Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavírus. Yoneda tinha 75 anos e estava internado na UTI (Unidade […]

Marcos Morandi Publicado em 01/07/2020, às 11h08 - Atualizado às 11h25

Postagem que circula nas redes sociais em Dourados. (Foto: Reprodução).
Postagem que circula nas redes sociais em Dourados. (Foto: Reprodução). - Postagem que circula nas redes sociais em Dourados. (Foto: Reprodução).

Por meio de postagens nas redes sociais, profissionais da saúde, entre eles, médicos, enfermeiros e técnicos que trabalham em hospitais e postos de Dourados lamentam a morte do médico Miguel Yoneda por Covid-19. Esse óbito foi confirmado pelo Comitê de Gerenciamento de Crise do Coronavírus.

Yoneda tinha 75 anos e estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do HU-UFGD (Hospital da Universidade Federal da Grande Dourados). Ele faleceu na madrugada desta quarta-feira e segundo dados do Comitê, não tinha comorbidades relatadas.

Morador em Ponta Porã, o médico também tinha residência em Dourados. Ele era plantonista do Hospital da Vida, que enfrenta denúncias de surto da doença entre os servidores da unidade que é administrada pela Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde de Dourados).

No mês de junho o Jornal Midiamax publicou relatos de colaboradores do Hospital da Vida com denúncias de falta de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e má gestão administrativa.

Após as denúncias, Vanessa Recalde Belisario, 32 anos, que estava internada no Hospital da Vida, morreu de coronavírus. Segundo informações da SES (Secretaria Estadual de Saúde), ela foi infectada enquanto se  recuperava de acidente de trânsito.

O secretário municipal de Saúde de Ponta Porã, Patrick Derzi também lamentou a morte do médico. Segundo ele “Dr. Miguel era uma pessoa muito bem humorada e que irá fazer muita falta não só para o sistema de saúde local, como também para o município de Dourados já que ele também era plantonista lá”, disse o secretário.

O Movimento pela Vida, que tem colocado cruzes em alguns locais da cidade para lembrar os mortes em Dourados pelo coronavírus, disse que irá plantar uma árvore nas proximidades do Hospital da Vida, onde o médico trabalhava.

Jornal Midiamax