Cotidiano

Prefeitura muda decreto e libera agências bancárias e feiras, mas sem consumo local

Feiras livres e bancas, agências bancárias, ações assistenciais voltadas às pessoas em vulnerabilidade social e locais com processo produtivo que, comprovadamente, não pode ser interrompido, foram liberados para funcionamento nos fins de semana, até 31 de julho. Essas previsões foram incluídas nesta quinta-feira (16), em publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), ...

Mayara Bueno Publicado em 16/07/2020, às 12h12 - Atualizado em 17/07/2020, às 09h44

Imagem do alto do centro de Campo Grande nos primeiros dias de Pandemia onde movimento nas ruas já era baixo (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).
Imagem do alto do centro de Campo Grande nos primeiros dias de Pandemia onde movimento nas ruas já era baixo (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo). - Imagem do alto do centro de Campo Grande nos primeiros dias de Pandemia onde movimento nas ruas já era baixo (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax, Arquivo).

Feiras livres e bancas, agências bancárias, ações assistenciais voltadas às pessoas em vulnerabilidade social e locais com processo produtivo que, comprovadamente, não pode ser interrompido, foram liberados para funcionamento nos fins de semana, até 31 de julho.

Essas previsões foram incluídas nesta quinta-feira (16), em publicação do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), no Decreto nº 14380 que determina lockdown aos sábados e domingos, além de horários e lotação diferentes nos comércios da cidade, durante a semana.

Segundo a Prefeitura de Campo Grande, agências bancárias poderão funcionar exclusivamente para pagamento dos beneficiários do auxílio emergencial. Bancas em feiras e centros comerciais com atividades de açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, podem atender aos sábados e domingos, mas não é permitido consumo no local

No caso das atividades de processo que não pode ser interrompido, incluem-se siderurgia e cadeias de produção de alumínios e cerâmicas.

Jornal Midiamax