Cotidiano

Prefeitura analisa números da Covid-19 para decidir sobre restrições em Campo Grande

Com o avanço dos casos de coronavírus em ritmo acelerado em Campo Grande, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) se reúne na manhã desta sexta-feira (4) para avaliar a situação no município. Além da equipe técnica da prefeitura, participam do encontro os diretores dos hospitais Proncor, Cassems, Regional, além do secretário de Saúde de Mato Grosso […]

Gabriel Maymone Publicado em 04/12/2020, às 08h50 - Atualizado às 11h50

Reunião começou por volta das 9h15. Da esquerda para direita, secretário Geraldo Resende, diretora do HR, Rosana Leite, e o prefeito Marquinhos Trad. (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax).
Reunião começou por volta das 9h15. Da esquerda para direita, secretário Geraldo Resende, diretora do HR, Rosana Leite, e o prefeito Marquinhos Trad. (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax). - Reunião começou por volta das 9h15. Da esquerda para direita, secretário Geraldo Resende, diretora do HR, Rosana Leite, e o prefeito Marquinhos Trad. (Foto: Marcos Ermínio, Jornal Midiamax).

Com o avanço dos casos de coronavírus em ritmo acelerado em Campo Grande, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) se reúne na manhã desta sexta-feira (4) para avaliar a situação no município.

Além da equipe técnica da prefeitura, participam do encontro os diretores dos hospitais Proncor, Cassems, Regional, além do secretário de Saúde de Mato Grosso do Sul, Geraldo Resende. As instituições de saúde já estão com poucas vagas para pacientes com Covid-19. Na quinta-feira (3), dos 202 leitos críticos para tratamento da doença, 188 estavam ocupados. No HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul), a taxa de ocupação atingiu 100%.

O prefeito adiantou que irá analisar todos os números para decidir se adotará as medidas recomendadas pelo MPMS (Ministério Público de MS), que pediu ampliação de restrições como toque de recolher mais cedo, fim de aglomerações e até mesmo regulação da venda de bebidas alcoólicas.

Recomendação do MPMS

1 – Seja revisto o horário de isolamento domiciliar estabelecido no Decreto nº 14.528, de 25 de novembro de 2020, com ampliação do horário do Toque de Recolher.

2 – Seja estabelecida a proibição da venda de bebidas alcóolicas durante todo o período do Toque de Recolher (Lei Seca), analisando a possibilidade de vedar, mesmo fora do período do Toque de Recolher, o consumo de bebidas alcoólicas no local para os estabelecimentos com permissão de funcionamento.

3) Seja estabelecida a proibição de reuniões com número de pessoas que representem aglomeração.

4) Seja restringida a lotação máxima dos estabelecimentos comerciais para percentual mais restritivo do que o atualmente em vigor.

5) Seja estabelecida a proibição de festas particulares que representam aglomeração e maior circulação do vírus.

COVID em MS

Mato Grosso do Sul já soma 102.236 casos confirmados de Covid-19, com 1.134 novos registros nesta quinta. Ocorreram mais 11 mortes, totalizando 1.804 óbitos causados pela doença, conforme o boletim epidemiológico do novo Coronavírus, apresentado diariamente pela SES (Secretaria de Estado de Saúde).

Com tal cenário, o estado chega a uma média móvel de 1.006 casos por dia. Esta é a maior média móvel desde o início da pandemia, considerando que o pico foi registrado na semana 35ª epidemiológica, com 6.135 casos, ou seja, média de 876 casos por dia na semana de pico.

As novas mortes foram registradas em Campo Grande (9), Dourados (1) e Jardim (1). A SES também destacou que MS já contabiliza um total de 388.424 casos notificados, dos quais 277.533 foram descartados. Há 2.415 testes em análise no Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) e 6.240 casos sem encerramento pelos municípios.

*Matéria editada para acréscimo de informação sobre integrantes da reunião, às 9h23.

Jornal Midiamax